terça-feira, março 30, 2010

Construção de uma Arena

Nos primeiros meses de 2010 foram dados importantes passos na construção da Arena do Grêmio.

Com algum atraso, foi contratada uma assessoria de imprensa, e já foi possível ver os efeitos dos novos contratados.

Ocorreram movimentações no terreno do Humaitá: Caminhões, operários, mastro e etc. Da mesma forma, foram divulgados mais detalhes técnicos sobre a obra.

Também foram apontados mais dois nomes para Conselho de Administração da Grêmio Empreendimentos. Também foi revelado que o arquiteto Carlos de La Corte atuará como consultor do projeto.

E finalmente foi lançado o site do Arena.

Enfim, passos importantes, que ajudam a diminuir o ceticismo de alguns setores da torcida. Ceticismo esse que é natural, e até saudável em pequenas doses, coisa que não se verificava antes. É bom que os debates em torno da construção do estádio tenham voltado a um nível mais aceitável.

Bobagens foram ditas por todos os lados, ganharam mais destaque as proferidas pelos que se posicionam contra a mudança. Mas alguns partidários do projeto também apresentam argumentos bem questionáveis.

Eu nunca gostei do pensamento mágico, dessa fé que um estádio novo traz felicidade e riqueza automaticamente. Penso sim que a Arena pode ser um bom negócio, representando um salto para o clube, mas é preciso ressaltar que nada vem sem trabalho.

Nesse sentido, é interessante ver a posição do Vice-Presidente e C.E.O. do Milan, Adriano Galliani, na matéria abaixo (livremente traduzida), quando afirma que a momentânea inferioridade dos times italianos se deve a falta de investimentos na construção de estádios, que geram riquezas para os demais clubes:



AQUELE ESTÁDIO...

"A estrutura/patrimônio do United é a garantia de grandeza do clube. E de pensar que éramos mais ricos"

[...]

Então, uma importante explicação sobre as razões da inferioridade futebolística da Itália em relação a Inglaterra:
"A nossa saída e da Fiorentina eram previstas. Não temos estádios. O Manchester faturava menos que nós há dez anos, hoje seu estádio gera 100 milhões de euros a mais que o nosso. Se não começarmos a construir estádios na Itália, acabaremos por quebrar como nos outros setores econômicos"


domingo, março 28, 2010

Gauchão - Grêmio 2 x 0 Esportivo


Por suspensões e por preservação, Silas não repetiu o time dos últimos jogos. Ainda assim alçançou a 13ª vitória seguida. Mithyuê entrou no lugar de Douglas, mas não fez a mesma função posição. Houve uma alteração tática, o time se apresentou numa espécie de 4-3-3. William centralizado e Jonas e Mithyuê caindo pelas pontas, com Maylson e W.Magrão vindo de trás.

O Esportivo se posicionou todo no seu campo de defesa, mas os planos de um empate heróico acabaram logo aos 11 minutos. William Magrão, na linha da pequena área, concluiu uma rápida descida gremista pela ponta direita. A partir daí começou um jogo de paciência, onde o Grêmio rodava a bola no campo de ataque e finalizava quando tinha oportunidade. Diversos foram os chutes de longa distância (a destacar a falta batida por Rodrigo), e o placar do primeiro tempo só não foi maior devido as boas defesas do goleiro Caio Venâncio.

A segunda etapa foi uma espécie de repetição da primeira. A começar pelo gol marcado cedo, aos 12. Mithyuê fez jogada individual pela esquerda e cruzou rasteiro para Maylson chutar forte. Mesmo com o 2x0 contra, o Esportivo não saiu do seu campo de defesa, seja por opção, seja por condição imposta pelo adversário. O Grêmio continuou rodando a bola e concluindo de fora da área. Caio Venâncio continuou tentando atuação destacada e poupou seu time de uma goleada.


50 jogos de invencibilidade no Olímpico. Tal marca não merecia um maior público no Olímpico? Alguma lembrança pelo marketing do clube?

Não gosto muito dessa eterna preocupação com o co-irmão, mas acho legal quando a flauta é original, fugindo da mesmice.

Finalmente William Magrão voltou a apresentar um futebol no mesmo nível que mantinha antes da lesão. Estava fazendo falta.

Pode ser que 2009 tenha me deixado habituado a falta de um lateral direito, mas é interessante ver como agora o Grêmio tem um balanço correto, com jogadas, iniciando e terminando, pelos dois lados do campo.

Fotos: Grêmio.net, ClicRBS, UOL e Terra

Grêmio 2 x 0 Esportivo
William Magrão 11´
Maylson 57´

GRÊMIO: Victor; Edilson, Rafael Marques, Rodrigo (Ozéia) e Fábio Santos; Ferdinando (Rochemback), W.Magrão, Maylson e Mithyuê (Bergson); Jonas e William
Técnico: Silas

ESPORTIVO: Caio; Onildo, Fábio Fidellis e Mateus; Robson, William, Yuri (Pepe) e Salini (Flaviano) e Rodrigo Ítalo; Cristiano Tiririca (Terrão) e Rafael Santiago
Técnico: Leandro Machado

Campeonato Gaúcho 2010, 2º Turno, 6ª Rodada
Data: 28/3/2010, domingo, 18h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre.
Renda: R$ 105.579.
Público: 9.375 (8.029 pagantes)
Arbitragem: Anderson Daronco
Auxiliares: Carlos Selbach e José Inácio de Souza.
Cartões amarelos: William, Yuri, Salini (E), Rochemback (G)
Gols: Willian Magrão, aos 11 minutos do 1ºtempo Maylson (G), aos 12 do 2º.

sexta-feira, março 26, 2010

Gauchão - Grêmio 2 x 1 Novo Hamburgo


Sequência é a palavra para definir o momento do Grêmio. Mais uma repetição do time e mais uma vitória, dessa vez contra o (justamente) badalado Novo Hamburgo.

O jogo de forma alguma foi uma repetição da final do 1º turno. O momento não é o mesmo, o Grêmio aparenta ser uma equipe mais confiante e consciente em campo. Ontem, passados os primeiros minutos de iniciativa do visitante, o time do Grêmio se impôs e mandou na partida. Verdade que o gol cedo, aos 5 minutos, ajudou. Maylson chutou rasteiro (o que não vinha fazendo) de fora área e abriu o placar, o que colaborou para bom futebol apresentado tivesse continuidade. Bola rodando (Douglas como principal responsável), laterais passando, tudo o que manda a cartilha. Aos 19 começou uma sequência de cruzamentos de Edílson, que terminou com o gol de William. 2x0 foi o justo placar do primeiro tempo, O Nóia pouco ameaçou a meta defendida por Victor.

Como era de esperar, Gilmar Iser mandou seu time para cima do Grêmio, mas esabarrou na defesa gremista jogando com muita seriedade. Durante toda a segunda etapa o tricolor esteve muito mais perto de ampliar (como nos lances de Jonas) do que de levar o gol de desconto. Contudo, nos 5 minutos finais o Nóia encomodou, mas muito mais pela colocação de jogadores no ataque (abafa) do que por criação de jogadas. Aos 40, Fabrício Correa marcou um pênalti questionável, em lance envolvendo Douglas (para mim foi bola na mão, sem intenção). Paulinho bateu e Victor fez grande defesa. A bola seguiu no ataque e um minuto mais tarde Kempes descontou. O Novo Hamburgo seguiu no campo de ataque, o que ocasionou uma certa apreensão no Olímpico, mas nenhum outra chance foi criada. O jogo terminou com uma justa vitória do Grêmio com o enganoso placar de 2x1.



Douglas jogou e vem jogando uma enormidade. Os adversários podem ser fracos, pode estar sendo pouco marcado, mas ainda assim demonstra uma visão de jogo fora do comum. É curioso que ainda não tenha marcado um gol pelo Grêmio.

Mithyuê novamente mostrou muita qualidade, só que dessa vez acabou exagerando um pouco no individualismo, carregou demais a bola. Plenamente compreensível.

Ontem já vi uma maior definição nos volantes. Ferdinando é o cabeça de área, enquanto Adílson faz a segunda função. Melhorou, mas o "Alemão" precisa contribuir mais ofensivamente.

Maylson caiu de produção depois do gol. Ainda assim, cumpre função tática indispensável.

Impressionante a seriedade com que jogou Rodrigo. Forma uma bela dupla com Mário Fernandes.

Público meio decepcionante, especialmente na sua falta do entusiasmo. Contudo, é de se registrar o tratamento carinhoso da torcida com o William, fato que foi saudado pelo próprio Silas.

Fotos: ClicRBS, Correio do Povo e Terra

Grêmio 2 x 1 Novo Hamburgo
Maylson
William 18´
Kempes 86´

GRÊMIO: Victor; Edílson, Mário (R. Marques 30 do 2º), Rodrigo e F. Santos; Ferdinando, Adílson (W. Magrão 36 do 2º), Maylson e Douglas; Jonas e William (Mithyuê 18 do 2º).
Técnico: Silas.

NOVO HAMBURGO: Juninho; Micael (Maiquel 22 do 2º), C. Luiz e É. Borges; Chicão (Kempes 31 do 1º), Emerson, Márcio, Preto e Paulinho; Edmar e Gustavo (Juba 36 do 2º).
Técnico: Gilmar Iser.

Campeonato Gáucho 2010 - 2º Turno - 5ª Rodada
Data: 25/03/2010, quinta-feira, 19h30min.
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre, RS.
Público: 11.012 presentes
Renda: R$ 136.037,00
Árbitro: Fabrício Corrêa.
Auxiliares: José Franco Filho e Tatiana Freitas.
Cartões amarelos: Márcio e Emerson (N); Mário e Adílson (G).
Gols:
Maylson (5 min do 1 T) e William (18min do 1 T) para o Grêmio; Kempes (41min do 2 T) para o Novo Hamburgo.

quinta-feira, março 25, 2010

quarta-feira, março 24, 2010

Meira X Deitos (Irany Jr e a Economia Interna)

Eu estava afastado de Porto Alegre e do noticiário Gremista, então custei a entender essa demissão do Paulo Deitos da coordenação das categorias de base do clube.

Até onde consegui apurar, parece que motivo realmente foi a insatisfação de Meira com uma suposta insubordinação de Deitos, que teria desrespeitado a hierarquia do Departamento de Futebol ao sugerir a cesta de jogadores.

Não quero entrar no mérito da questão, se a saída foi certa ou não. Só lamento que as categorias de base passem por tantas mudanças em tão pouco tempo.

O problema é que esse fato serviu para catalisar o confronto entre o vice de finanças, Irany Sant’anna Junior, e o diretor de futebol, Luiz Onofre Meira. No sábado, Irany se queixou dos gastos excessivos do futebol. Ontem, Meira se defendeu, revelando para a imprensa os gastos do futebol gremista.

Até aí tudo normal, em várias organizações é comum essa disputa entre setores por maiores ou menores gastos. Só estranho que esse debate tenha se tornado público (para onde foi a velha economia interna?). Imagino que a divulgação desses números tenha sido devidamente autorizada pelo Conselho de Administração.

Obviamente que parte da torcida gremista tomará partido nessa disputa. Eu prego cautela e responsabilidade nos gastos, mas penso que é possível ter um entendimento diverso.

O Movimento Grêmio Acima de Tudo publicou um post criticando as declarações do Meira. Posso discordar do tom do texto, mas não do seu conteúdo. Novamente, até aí tudo bem. O problema é que isso, evidencia a complexidade da política gremista (para não dizer a incoerência e volatilidade de alguns grupos). Senão vejamos:

Meira, que era (ou ainda é?) ligado ao Grêmio Acima de Tudo, "demitiu" Deitos, que hoje seria um dos expoentes do mesmo movimento. Para que não se tenha dúvida da relação dos dois com o MGAT, basta dar uma olhada no panfleto distribuído nas eleições para o Conselho em 2007, contendo a os integrates da  então chapa 2 . Meira era o 4º da lista, enquanto Deitos era o 18º:


Também tenho dificuldade em entender como o referido movimento possa ter se voltado justamente contra quem era seu representante nas eleições em 2007. Ok, o futebol é dinâmico, mas o que explica essa mudança?

Pode ser que eu esteja sendo injusto com alguma das partes envolvidas, mas às vezes é difícil entender essa dinâmica da política gremista.

domingo, março 21, 2010

Gauchão - Ypiranga 1x3 Grêmio


Silas vem repetindo sua idéia de time e conseguindo resultados positivos. A vitória do jogo de hoje certamente foi merecida. Passados os 20 minutos iniciais, que foram mais de estudos, a superioridade do Grêmio foi evidente. O Ypiranga tinha dificuldade para sair do seu campo de defesa. Victor não foi mais do que um privilegiado espectador do jogo no primeiro tempo, enquanto Marcelo Pitol salvou a equipe de Erechim em diversas oportunidades, como nos chutes de Maylson e Douglas, garantindo o placar em branco na primeira etapa.

O segundo tempo começou com o gol do time da casa. Cruzamento da direita e a bola acabou nos pés de Flávio Dias, que superou Edilson e chutou cruzado. O gol empolgou os anfitriões e afobou o time do Grêmio, que se embolava na intermediária ofensiva. Aos 20, Silas sacou o inoperante William e apostou na movimentação e criatividade de Mithyuê. Deu certo. Aos 23, Jonas sofreu a falta, se escalou para a cobrança, realizada com força, empatando o jogo. Cinco minutos depois, Maylson precisou de poucos toques para dominar o cruzamento, tirar a zaga da jogada e chutar a bola no ângulo, virando o placar. O Ypiranga não teve forças pra buscar o empate, O Grêmio criou mais chances, mas só ampliou nos acréscimos, novamente com Jonas.


William não se ajudou. Mithyuê o substituiu com vantagem. Ainda assim é compreensível a preferência de Silas por um centroavante de referência. O "problema" está no fato de William não corresponder na confiança depositada pelo treinador.

Para minha surpresa Fábio Santos apoiou mais do que Edilson. Talvez tenha sido apenas uma circunstância da partida.

No momento. Ferdinando e Adílson também seria os volantes no "meu time". Mas penso que é preciso haver uma maior definição sobre quem sai mais pro jogo e sobre quem fica. No jogo de hoje ficou faltando a chegada de homem de trás para ajudar Douglas e Maylson na criação.

Achei exagerada a expulsão de Marcelo Pitol, muito embora ele estivesse errado na sua reclamação. Aparentemente boa parte da imprensa também pensa assim. O curioso é comparar esse tratamento dispensado ao goleiro do Ypiranga com a forma que a mídia tratava o Tcheco.

Fotos: ClicRBS, Correio do Povo e UOL

Ypiranga 1 x 3 Grêmio
Flávio Dias 46'
Jonas 68'
Maylson 73'
Jonas 90+1

YPIRANGA: Marcelo Pitol; Tomas, André Luiz e Ronaldo; Aírton, Pansera, Marcelo, Michel (Diego/Giovani) e Vainer; Dinei (Sharlei) e Flávio Dias.
Técnico: Agenor Piccinin

GRÊMIO: Victor; Edilson, Mário Fernandes, Rodrigo e Fábio Santos; Ferdinando, Adilson, Maylson (Willian Magrão) e Douglas; Jonas e William (Mithyuê).
Técnico: Silas

Campeonato Gaúcho 2010 - 2º Turno - 4ª Rodada
Data: 21 de março de 2010, domingo, 17h00min
Local: Estádio Colosso da Lagoa, Erechim (RS)
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima
Auxiliares: Alexandre Kleiniche e Carlos Bittencourt
Cartões amarelos: Ronaldo, Michel, Dinei, Marcelo Pitol, André Luiz (Ypiranga); Adilson, Fábio Santos, Mário Fernandes, Mithyuê (Grêmio)
Cartão vermelho: Marcelo Pitol (Ypiranga) aos 29 do 2ºtempo
Gols: Flávio Dias, a 1min do 2º tempo (Ypiranga); Jonas, aos 23min e aos 46min do 2º tempo e Maylson, aos 28min do 2º tempo (Grêmio)

quarta-feira, março 17, 2010

Copa do Brasil - Votoraty 0 x 1 Grêmio



Votoraty 0 x 1 Grêmio
Jonas 51´

VOTORATY: Alex; João Paulo, Henrique e Alemão; Carlos Magno, Elder, Francis, Neizinho (Yan 30 do 2º) e Marco Aurélio; Paulo Klaus (Marcos Dias, intervalo) e Anderson Santos.
Técnico: Fernando Diniz

GRÊMIO: Victor; Edilson, Mário Fernandes, Rodrigo e Fábio Santos; Ferdinando, Adilson (Willian Magrão 36 do 2º), Maylson (Fernando 21 do 2º) e Douglas; Jonas e William (Mithyuê 37 do 2º).
Técnico: Silas

Copa do Brasil 2010 - 2ª fase - Jogo de ida
Data: quarta-feira, dia 17 de março de 2010, 15h30min,
Local: Estádio Domênico Paolo Mettidieri, em Votorantim (SP)
Público Pagante: 5.238
Renda: R$ 82.260,00
Árbitro: Renato Cardoso da Conceição (MG)
Assistentes: Jair Albano Felix (MG) e Celso Luiz da Silva (MG)
Cartões amarelos: Henrique e Elder, Fábio Santos, Mário Fernandes, Douglas, Victor, Edilson e Ferdinando
Gol: Jonas (6min/2°T)

Bicampeão Gáucho - 1922

"o campeonato gaúcho de 1922 ficou dependendo de uma decisão num jogo extra."

"E nem foi um jogo que bastou para a definição do título"

"Nunca havia existido um bicampeão no futebol gaúcho. Mas também nunca tinha havido uma decisão de Campeonato tão dramática"


PARTICIPANTES
Regiao Centro: Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense(Porto Alegre)
Regiao Sul: Grêmio Bagé (Bagé)
Regiao Fronteira: Guarani (Alegrete)
Regiao Serra: Guarani (Cruz Alta)

[15 de Novembro]
Grêmio 1-2 Guarani/Al
Grêmio Bagé 2-1 Guarani/CA

[19 de Novembro]
Grêmio 2-0 Gremio Bagé
Guarani/Al 3-4 Guarani/CA

[23 de Novembro]
Grêmio 2-0 Guarani/CA
Grêmio Bagé 0-1 Guarani/Al

CLASSIFICAÇÃO
1. Grêmio 4 pontos
2. Guarani/AL 4 pontos
------------------
3. Guarani/CA 2 pontos
4. Grêmio Bagé 2 pontos

Primeiro Jogo-extra
[26 de Novembro]
Grêmio 2-2 Guarani/Al

Segundo Jogo-extra
[28 de Novembro]
Grêmio 2-1 Guarani/Al
Gols: Ramão, Lagarto (GRÊ); Lúcio(GUA)



Fontes: Zero Hora, RSSSF e Gauchão - A História ilustrada de uma tradição

segunda-feira, março 15, 2010

Brasinha pedindo a cabeça do Danrlei


A imagem de cima é da Revista Placar. A de baixo do Correio do Povo. Não há muito o que dizer sobre elas.



Não faço idéia de quem seja Rogério Romero (imagino que não seja o nadador). Mas Alceu Rosa é nada mais nada menos do que Brasinha, atualmente vereador de Porto Alegre.


domingo, março 14, 2010

Gauchão - Grêmio 3 x 0 Inter-SM


Grêmio 3 x 0 Inter-SM

GRÊMIO: Victor; Edílson, Mário Fernandes, Rodrigo e Fábio Santos; Ferdinando, Adilson, Maylson (Fernando) e Douglas; Jonas (Bergson) e William (Mithyuê).
Técnico: Silas

INTER-SM: César; Djair, Sananduva e Juliano; Xande (Paulo César), Cleitão, Elias (Maurício Medeiros), Pio, Anderson Cruz e Júlio Cézar (Bruno); Dudu
Técnico: Bagé

Campeonato Gaúcho 2010 - Segundo Turno - 3ª Rodada
Data: 14/03/2010, domingo, 19h30min
Local: Estádio Olímpico
Público: 10.936 (9.651 pagantes).
Renda: R$ 132.375,50.
Arbitragem: Vinícius Costa
Auxiliares: Anderson da Silveira Farias e Júlio César dos Santos
Cartões amarelos: Djair, Júlio Cézar, Cleitão, Paulo César (I), Douglas (G).
Gols: No primeiro tempo, Maylson, aos 40 minutos. No segundo, Maylson, aos 29 e Fernando, aos 43.


quinta-feira, março 11, 2010

Copa do Brasil 1995



A Copa do Brasil de 1995 evoca diversas lembranças. Foi o ano que o SBT comprou os direitos da competição, passando a valorizá-la ao exibir diversos jogos em horário nobre.

Lauro Quadros suspeitou da tabela que favorecia o Flamengo. 10 anos depois Socrátes fez, na sua coluna na revista Carta Capital, revelações estarrecedoras sobre a montagem dos jogos para favorecer o Rubro-negro.

O Grêmio tinha um caminho bem complicado. Nas oitavas, Danrlei fechou o gol no Parque Antártica e garantiu um heróico 2x2 com 8 jogadores em campo. Nas quartas, Jardel pulou mais alto que Zetti e liquidou o São Paulo. Nas semifinais, a lendária briga de Felipão e Luxemburgo.

Na final, cansado pela maratona de jogos daquele primeiro semestre, o Grêmio não teve forças para superar o Corinthians. Contudo, no final do 2º jogo, aconteceu uma das cenas mais bonitas da história do estádio Olímpico, quando a torcida cantou o hino em uníssono para reconhecer o esforço do time no gramado.


PRIMEIRA FASE
Jogo de Ida - 14/02/1995 - Terça-feira - 20:30
Desportiva-ES 0 x 1 Grêmio
Local: Estádio Engenheiro Araripe - Juiz: Carlos Elias Pimentel
Gol: Jardel

Jogo de volta - 28/03/1995 - Terça-feira - 20:30
Grêmio 2 x 1 Desportiva-ES
Local: Estádio Olímpico - Juiz: Dalmo Bozzano
Gols: Paulo Nunes e Magno (GRÊ); Mário (DES)


OITAVAS DE FINAL
Jogo de ida - 11/04/1995 - Terça-feira - 20:45
Grêmio 1 x 1 Palmeiras
Local: Estádio Olímpico - Juiz: Antonio Pereira da Silva(GO)
Gols: Rivaldo (PAL), Dinho [pen](GRÊ)


Jogo de volta - 18/04/1995 - Terça-feira - 20:45
Palmeiras 2 x 2 Grêmio
Local: Parque Antártica - Juiz: Wilson de Souza Mendonça-PE
Gols: Goiano e Paulo Nunes (GRÊ); Lozano e Rivaldo (PAL)


QUARTAS DE FINAL
Jogo de ida - 05/05/1995 - Sexta-feira - 20:45
São Paulo 1 x 1 Grêmio
Local: Pacaembu - Juiz: Sidrak Marinho dos Santos-SE
Gols: Bentinho (SP) Paulo Nunes (GRÊ)



Jogo de volta - 12/05/1995 - Sexta-feira - 20:45
Grêmio 2 x 0 São Paulo
Local: Olímpico - Juiz: Márcio Rezende de Freitas-MG
Gols: Arílson e Jardel


SEMIFINAL
Jogo de ida - 23/05/1995 - Terça-feira - 20:45
Flamengo 2 x 1 Grêmio
Local: Maracanã - Juiz: Lincoln Afonso Bicalho-MG
Gols: Sávio [2] (FLA); Jardel (GRÊ)




Jogo de volta - 31/05/1995 - Quarta-feira - 20:45
Grêmio 1x0 Flamengo
Local: Olímpico - Juiz: Márcio Rezende de Freitas-MG
Gol: Jardel





FINAL

Jogo de ida - 14/06/1995 - Quarta-feira - 20:45
Corinthians 2 x 1 Grêmio


CORINTHIANS
: Ronaldo, Vítor, Célio Silva, Henrique e Silvinho; Bernardo (Ezequiel), Marcelinho Paulista e Souza; Marcelinho Carioca, Viola e Fabinho (Elivélton).

Técnico: Eduardo Amorim.

GRÊMIO: Danrlei, Arce, Rivarola, Luciano e Carlos Miguel; Dinho (Gélson), Adílson, Luís Carlos Goiano e Alexandre; Paulo Nunes (Vágner Mancini) e Jardel.
Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Local: Pacaembu (São Paulo-SP);
Público: 25.281
Renda: R$ 415.212,00
Árbitro: Antônio Pereira da Silva (GO)
Cartões Amarelos: Silvinho, Célio Silva, Marcelinho Paulista,Carlos Miguel, Rivarola, Luciano e Adílson
Cartão Vermelho: Vágner Mancini
Gols: Viola 41' do 1º; Luís Carlos Goiano 20' e Marcelinho Carioca 26' do 2º



Jogo de volta - 21/06/1995 - Quarta-feira - 20:45
Grêmio 0 x 1 Corinthians

GRÊMIO : Danrlei, Arce, Rivarola, Adílson e Carlos Miguel; Dinho (Alexandre), Gélson, Luís Carlos Goiano e Arílson; Paulo Nunes e Jardel.
Técnico: Luiz Felipe Scolari.

CORINTHIANS: Ronaldo, André Santos, Célio Silva, Henrique e Silvinho; Zé Elias, Bernardo e Souza; Marcelinho Carioca, Viola e Marques (Tupãzinho).
Técnico: Eduardo Amorim

Local: Olímpico (Porto Alegre-RS)
Público: 47.352
Renda: R$ 740.415,00
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (MG)
Cartões Amarelos: Jardel, Rivarola,Gélson, Adílson, André Santos e Bernardo
Cartões Vermelhos: Paulo Nunes e Silvinho.
Gol: Marcelinho Carioca 26' do 2º


------------------------------------------------------------------------------------
Fontes: Bola na área, CBF, Placar, Zero Hora e Jornal do Brasil