terça-feira, setembro 01, 2009

De León - Camisa do Grêmio no Mundialito

A imagem acima já aparecia no site "Coleção Grêmio Gianfranco" como foto autografada por Hugo De Léon.

O Grêmio Copero publicou a imagem (quando o Irineu Staub a enviou nessa resolução para os blogs), e explicou a situação da foto, do Mundialito de 1981 no Uruguai.

No intuito de acrescentar, transcrevo o que o próprio De León falou na época, ao ser "sabatinado" por Hamilton Chaves, Werner Becker e Paulo Santana, na sua chegada em Porto Alegre em reportagem da Placar:


"Placar
: Na festa do Mundialito, a tua imagem, vestindo a camisa do Grêmio, marcou muito, e até houve gente que achou que não era momento para aquilo...

Santana: Eu assassinaria ele se botasse a camisa do Inter...

De León: Tem gente que pensa que me vestiram a camisa. Não foi assim. Eu levei a camisa para a concentração com esse propósito. Queria dar a volta olímpica com a camisa do Grêmio"



É importante ressaltar que De Léon, ao vir para o Grêmio em janeiro de 1981, "abriu mão" de jogar o Mundial em Tóquio pelo Nacional (disputado em Fevereiro de 1981 - 1x0 contra o Nottingham Forest).


Outra pergunta que se destaca na entrevista é a seguinte:


Santana: Tu achas que temos time para sermos campeões brasileiro neste ano?

De León: O Grêmio vai ser campeão brasileiro. Eu tenho certeza absoluta disso.



8 comentários:

Gremista Vigilante disse...

Sensacional!

charles disse...

andre. rico em detalhes. parabéns tche.

Rafael Chat disse...

Ótimo post
belíssima história. Esse é ídolo. Onde se encontra este tipo de jogador hoje?

DJ Aldebaran disse...

O que o Olívio Dutra faz na matéria da Placar? Na boa, muito igual ao nosso ex-governador!

hguimaraes7 disse...

qual numero da camisa do deleon?

Anônimo disse...

Me lembro disso.O Uruguai ganhou do Brasil,e na volta olímpica o capitão Hugo de Leon deu a volta olímpica vestindo a camisa do Grêmio,além de erguer a taça.

Anônimo disse...

IMORTAL TRICOLOR

idiarte disse...

A história da comemoração e volta olímpica do De León com a camisa tricolor é um pouco mais ampla, não finda apenas na homenagem do caudilho ao Grêmio.
O Uruguai, assim como o Brasil, ainda vivia sob o signo da Ditadura em 1981.
De León aproveitou o advento da sua contratação pelo Grêmio para usar isso como mais uma das tantas "afrontas" aos generais uruguaios naquele dia.
A junta militar do Uruguai tinha inventado o Mundialito como forma de ganhar sobrevida, em conjunto com um plebiscito onde o povo uruguaio iria se manifestar se era a favor ou não da continuidade do regime militar.
E na final do Mundialito várias coisas deram errado para os interesses dos generais no Estádio Centenário:
- A banda militar foi vaiada quando entrou em campo;
- A torcida uruguaia gritava especificamente mais alto no trecho do hino que diz "¡Tiranos Temblad!" ("Tiranos tremem!"), num recado claro aos milicos;
- O estádio inteiro gritava "¡Se va a acabar, se va a acabar la dictadura militar!";
- De León colocou a camisa do Grêmio por cima da camisa do Uruguai (isso é importante frisar, porque muitos acham que ele tirou a camisa da Seleção e vestiu a do Grêmio).
Em um vídeo no YouTube chamado "Final Mundialito de futebol de 1980 Brasil vs Uruguai" dá para observar uma certa tensão no De León olhando para os lados logo ao final da partida, em meio aos cumprimentos (a partir de 1:34:45 do vídeo), como se analisando se era prudente vestir a camisa do Grêmio.
O vídeo não mostra o capitão uruguaio Rodolfo Rodriguez erguendo a taça e depois passando para De León, tampouco a volta olímpica.
A 1:39:15 De León aparece com a camisa tricolor indo em direção ao vestiário.
Por causa desse gesto de vestir a camisa do Grêmio, De León ficou de fora da premiação pela conquista do Mundialito (que era um automóvel Passat brasileiro para cada jogador).
Um bom resumo do contexto todo daquele Mundialito está no documentário "Memórias do Chumbo: O Futebol nos Tempos do Condor", que é dividido em 4 partes: Brasil, Uruguai, Argentina e Chile.
No YouTube dá para assistir o documentário completo ou apenas a parte que se refere aos uruguaios. Procurem por "Memórias do Chumbo - O Futebol nos Tempos do Condor - Uruguai".
Não lembro se no documentário aparece imagens da entrega do troféu e da volta olímpica, mas é uma aula de história do futebol e de história das próprias 4 mais importantes nações sul-americanas, que foram todas subjugadas por ditaduras militares durante muitos anos.