quarta-feira, abril 22, 2009

Souza tem razão

Duas semanas atrás, fiz um post reclamando da relação do Grêmio com a imprensa.

Ontem, foi a vez de Souza reclamar, queixando-se da diferença de tratamento em relação ao Internacional.

Sem dúvida isto vai repercutir. Provavelmente as palavras do atleta serão distorcidas.

Ou melhor, já foram. No blog do jornalista Sérgio Couto foi publicado um post com o título "INTER É SÓ MARKETING - DIZ SOUZA!!!". Sorte que no post são disponibilizados áudios das entrevistas com Ruy e Souza e em nenhum momento se ouve os atletas falando algo parecido com o que sugere o título da post.

A reportagem de Leandro Behs na Zero Hora de hoje (22/04), pinçou parte da declaração de Souza e a publicou fora do contexto:



Muito mais justa foi a matéria de Carlos Correa no Correio do Povo, no qual foi dado mais espaço para as reclamações de Souza:

"‘O marketing do Inter é muito bom´
O mesmo sentimento que era percebido em alguns torcedores, agora também é externado por jogadores do Grêmio. Na avaliação tricolor, toda a badalação em torno do título invicto conquistado pelo Inter é exagerada. Ou, na melhor das hipóteses, é desproporcional. A leitura pelos lados do estádio Olímpico é a de que, apesar da excelente campanha na Libertadores, o clube tem sido subestimado pela mídia em geral.
O porta-voz da insatisfação azul foi Souza. Sem nunca fugir de declarações polêmicas, o meia foi direto: 'O marketing do Inter é muito bom'. De acordo com ele, todo o favoritismo que está sendo atribuído aos rivais no Brasileirão também aconteceu em 2008: 'O futebol não é falado, é jogado. No ano passado, ninguém falava no Grêmio e fomos vice-campeões'.
Para Souza, se forem comparadas as campanhas das duas equipes no ano, os números mostrariam que o Grêmio está em um momento melhor, já que tem os melhores números da Libertadores, uma competição mais difícil. Por que então, nas três vezes em que Inter e Grêmio encontraram-se em 2009, os colorados venceram todas? 'Porque teve bola que bateu na trave, bola que zagueiro tirou em cima da linha. Em futebol, também é preciso ter sorte', arrisca ele. O meia garante, inclusive, que se os clássicos fossem válidos pela Libertadores, e não o Gauchão, os resultados seriam outros. 'Já joguei contra os dois pela Libertadores e é diferente. Contra o Grêmio aqui, fomos atropelados', lembra o atleta. Defendendo o São Paulo, Souza foi derrotado tanto por Inter (2006) como por Grêmio (2007)." (Correio do Povo, 22/04/2009)


Mais declarações de Souza foram publicados no FinalSports, em matéria de Fernando Soares:
"'Souza desabafa, reclama e elogia ao falar sobre treinadores'
O meia Souza é conhecido no meio do futebol por não ter ‘papas na língua’. Nesta terça-feira, após o treino da tarde, o jogador foi para a entrevista coletiva e não poupou críticas a imprensa sobre as questões ligadas ao novo treinador do Grêmio. De acordo com o jogador, muitos assuntos tratados no estádio Olímpico acabam saindo de outra forma para o torcedor.

“O treinador, dependendo daquilo que faz, pode evitar uma derrota ou ganhar facilmente. Agora quem resolve na hora mesmo são os onze que estão em campo. Estamos respeitando o (Marcelo) Rospide e muitos falaram que o time não tinha comando, só que foi necessário ganharmos do Universidad para pararem de falar nisso. (...) Aqui se fala muita coisa, até que nós vetamos o Renato, mas no dia que eu conseguir algo assim eu largo o futebol e vou virar diretor”, declarou Souza, que elogiou Paulo Autuori, o mais cotado para assumir o Grêmio" (FinalSports, 21/04/2009)

E no jornal O Sul:

Como foi dito nas matérias, realmente Souza é um sujeito original nas entrevistas, consegue ser bem humorado e fugir do lugar-comum dos boleiros sem descambar para o folclore. Mas as vezes fala demais.

Talvez, assim como aconteceu antes do último grenal, tenha sido o caso. Souza teria evitado alguns problemas se ficasse calado. Porque a imprensa nunca recebe bem este tipo de crítica, e jamais admite erros. O ideal seria que algum diretor fizesse tal crítica, ou que o clube agisse nos bastidores. Até mesmo ficaria melhor Souza reclamar disto fora do ar, mas nunca publicamente, por mais hipócrita que isso possa parecer.

Mas Souza reclamou, e está coberto de razão.

Sobre marketing, Hiltor Mombach fez uma frase sintomática em sua coluna no Correio do Povo:
"Talvez o problema maior do marketing do Grêmio seja não fazer marketing do seu marketing. Há quem faça isto muito bem" (Correio do Povo, 14/04/2009)

Um exemplo disso pode ser visto neste fim de semana, quando o Internacional foi elogiado por fazer camisetas especiais para receber a taça do gauchão: "O amplo favoritismo na final da Taça Fábio Koff permitiu que o Inter planejasse uma grande festa para comemorar o bicampeonato regional. Poucos minutos depois do apito final, jogadores e dirigentes já recebiam no gramado camisas comemorativas, onde na parte da frente lia-se '100/001 – Campeão invicto', em uma alusão ao primeiro título do centenário e às costas levava o número 39, referência ao 39º Gauchão conquistado." (Correio do Povo, 20/04/2009)

Este tipo de ação virou uma coisa corriqueira(por exemplo, Botafogo fez isso na Taça Guanabara, Flamengo na Taça Rio, Grêmio também fez no gauchão de 2007) e e questionável, uma vez que na hora da "fotografia" os patrocinadores e camisa do time são escondidos.

Sobre o tratamento diferenciado dado pela imprensa, me parece sempre demasiado lembrar a hierarquia das competições. Infelizmente parece que tem gente que se esquece que a Libertadores é sim mais importante do que o Gauchão e Copa do Brasil.

Na sua coluna do site Ducker, Jorge Bettiol deu um belo exemplo dessa diferença na capa do Diário Gaúcho, onde uma semifinal de turno de um estadual ganhou mais destaque do que uma partida de libertadores.

Neste mesmo sentido, Mauro Cezar Pereira tem sido bem feliz em suas colunas no site da ESPN Brasil. Como na questão da supervalorização dos estaduais:
"Conquistas de âmbito regional, vitórias diante de adversários frágeis, quase tudo leva à ilusão nesse momento do ano. É a reta final dos campeonatos estaduais, cuja existência não me incomoda, mas sim o tempo que ocupam no calendário, além da exagerada importância dada a eles, especialmente nas avaliações das equipes que dessas competições participam" (Mauro Cezar Pereira, 21/04/2009)

Ou mais exatamente na relação entre campeonato gaúcho e Libertadores:
"Wianey Carlet, em seu blog no site do Zero Hora, escreveu que "Roth colocou a própria cabeça na guilhotina". De fato, o treinador o fez ao eleger o óbvio: que a Libertadores é muito mais importante do que o campeonato gaúcho. Mas vá explicar isso aos que ainda vivem os tempos nos quais a bola rolava apenas dentro das províncias. Para esses, o Gre-Nal é o que mais importa e no clássico do Rio Grande do Sul, só tem dado Inter."(Mauro Cezar Pereira, 06/04/2009)

Fica bastante claro que Souza tem razão em suas reclamações. O que se pode questionar é se era o papel dele fazer estas queixas.

11 comentários:

Francisco Luz disse...

A leitura pelos lados do estádio Olímpico é a de que, apesar da excelente campanha na Libertadores, o clube tem sido subestimado pela mídia em geral.Uma pergunta sincera, e que nenhum gremista até agora me respondeu sem repetir o que o Souza disse: a direção do Grêmio, que demitiu um treinador líder da Libertadores com base no que fez no Gauchão, também não subestimou o time?

E sobre tratamentos diferentes para competições com pesos diferentes, vale lembrar que em 2005 todas as rádios e jornais mandaram as principais equipes para o Recife para acompanhar Grêmio e Náutico, enquanto que Inter e Palmeiras teve bem menos recupercussão — tanto antes quanto, obviamente, depois da partida.

Ou seja: as críticas à imprensa estão sempre aí. Elas mudam de lado a cada ano, mas estão sempre presentes.

André Kruse disse...

a direção do Grêmio, que demitiu um treinador líder da Libertadores com base no que fez no Gauchão, também não subestimou o time?A direção não valorizou devidamente o bom trabalho feito na libertadores. No mesmo sentido vai a opiniao do Mauro Cezar Pereira, linkada no post.

O fato de a imprensa ter errado antes não é justificativa e nem atenuante para os erros de hoje.

em 2002 deu o mesmo espaço para Grêmio x River e Equador x Inter

Francisco Luz disse...

O fato de a imprensa ter errado antes não é justificativa e nem atenuante para os erros de hoje.Claro que não é atenuante, foi apenas uma constatação. O mau serviço prestado é notório e antigo, apenas isso.

Vicente Fonseca disse...

Equador x Inter?

Não me lembro dessa história.

André Kruse disse...

http://www.intermultimidia.net/forum/viewtopic.php?t=464

Gabriel Ferreira Ludwig disse...

Olha,isso é coisa da imprensa gaucha, porque todo mundo do eixo SP-RJ está concordando com a idéia de esperar o Paulo Autuori. http://colunas.sportv.globo.com/lediocarmona/2009/04/21/autuori-merece-a-espera/

Lourenço disse...

Tu conhece algum site que tenha jogos do Grêmio completos para download tipo esse intermultimidia, André?

André Kruse disse...

Não conheço Lourenço.

O Gol do Grêmio fazia algo parecido, mas está desatualizado.
http://goldogremio.blogspot.com/

Alguma coisa se acha na comunidade Grêmio Multimídia do Orkut.

GATE 10 GFBPA disse...

IMPRENSA SUJA!

Vicente Fonseca disse...

Bah, não lembrava mesmo desse jogo. Vários jogadores equatorianos continuavam na ativa -e na seleção.

Lourenço disse...

Obrigado, André