sexta-feira, junho 04, 2010

Brasileirão - Grêmio 2 x 1 Atlético-MG



Em situação já um pouco incômoda no campeonato, Grêmio e Atlético Mineiro fizeram um jogo bastante aberto e movimentado no Olímpico. Mas isso não quer dizer que tenham feito uma boa partida. Foram muitos os passes errados, diversas as jogadas frustradas e raras as chances de gol. Digno de nota, apenas um chute de longa distância de Adílson e uma grande defesa de Victor na bomba de João Pedro. O Atlético incomodava com seu trio ofensivo (Ricardinho, Muriqui e Tardelli) mas esbarrava na noite pouco inspirada dos demais. O Grêmio, por sua vez, se ressentia justamente da ausência dos seu trio ofensivo (Douglas, Jonas e Borges).

Depois de algumas cobranças desperdiçadas, Rochemback caprichou no escanteio batido aos 37 e a bola encontrou Hugo, que se abaixou para cabecear dentro da pequena área e abrir o placar. O Atlético empatou o jogo no final da primeira etapa, quando Ricardinho chutou de forma despretensiosa, para o que seria mais uma fácil defesa de Victor, mas a bola desviou em Ozeia e matou o arqueiro gremista.

A qualidade do jogo não melhorou muito no segundo tempo. William fez boa jogada aos 4 minutos. Tardelli seguia sendo a melhor figura atleticana, mas jogava muito longe do gol. Aos 15, o segundo tento do Grêmio. Novamente de bola parada, novamente um cruzamento de Rochemack e novamente uma cabeçada de Hugo. O tricolor poderia ter ampliado pouco depois, quando Hugo sofreu pênalti, mas o árbitro ignorou. Depois disso, o jogo aconteceu quase que exclusivamente no campo de defesa do Grêmio, que não conseguia sair pro jogo. Apesar disso, não houve uma forte pressão por parte do Atlético, que ainda assim teve algumas chances (em especial a desperdiçada por Diego Macedo). No fim, prevelaceu o time que aproveitou melhor as suas oportunidades.


Valeu pelo resultado. O Grêmio jogou mais que o adversário (errou menos) mas não fez uma boa exibição.

Como era de se esperar, o time sentiu bastante a ausência de Jonas. A bola ficava pouco no ataque.

Não vejo mais ninguém sugerindo tratamento psicológico para Victor. Ainda bem.

Novamente não gostei do posicionamento do Maylson. Jogou como um ponta direita. Silas inclusive mencionou que o usou como atacante após a saída do William. Acho que o Maylson pode sim ocupar esse espaço do campo, mas vindo de atrás, como elemento supresa. Fixo no flanco acaba virando presa fácil para marcação. Até entendo, no jogo de ontem, como uma estratégia para desestabilizar os 3 zagueiros do Galo, mas o Grêmio perdeu um jogador no combate do meio campo.

Vejo alguns exageros nas críticas ao futebol apresentado por Hugo ontem. Fez dois gols e sofreu um pênalti (não marcado). O que mais poderia se exigir dele? Nunca foi um jogador de atuação intensa durante os 90 minutos.

Por que o jogo não foi antecipado para um horário mais civilizado?

Fotos: Neco Varella (UOL), Valdir Friolin (ClicRBS) e Pedro Revillion (Correio do Povo)

Grêmio 2 x 1 Atlético Mineiro
Hugo 37'
Ricardinho 44'
Hugo 60'

ATLÉTICO-MG: Marcelo, Lima, Werley e Jairo Campos (Ricardo Bueno, 25'/2ºT); Diego Macedo, Rafael Jataí (Wendel, 41'/2ºT), João Pedro, Ricardinho e Leandro (Júnior, 31'/2ºT); Muriqui e Diego Tardelli.

Técnico: Vanderlei Luxemburgo.



GRÊMIO: Victor, Edilson, Ozéia, Rodrigo e Bruno Collaço; Adilson, Fábio Rochemback, Maylson e Hugo; Roberson (Bergson, 40'/2ºT) e William (Fernando, 23'/2ºT).
Técnico: Silas.



6ª Rodada - Campeonato Brasileiro 2010
Data: 3/6/2010, quinta-feira, 21h00min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre - RS
Público: 14.605 (12.473 pagantes)
Renda: R$ 212.379,00
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez(RJ).
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Marco Aurélio S. Pessanha (RJ).
Cartões amarelos: William, Edilson, Hugo, Fábio Rochemback, Adilson, Fernando (GRE); Leandro, Jairo Campos, Rafael Jataí, Marcelo (ATL).
Cartão vermelho: João Pedro (ATL, 39'/2ºT).
Gols: Hugo, 37'/1ºT; Ricardinho, 44'/1ºT; Hugo, 15'/2ºT


4 comentários:

Tarsis Salvatore disse...

O Grêmio com o Willian joga com um a menos em campo. É triste, mas é fato.

Tem tanta gente que critica o Douglas, mas se ele tiver uma dupla de volantes eficientes que o deixe jogar livre, ele pode contribuir muito, fez muita falta ontem, apesar do empenho do Hugo.

Concordo contigo, sobre o Hugo e o empenho dele foi fundamental para o resultado.

Aliás, isso foi o grande mérito do time: empenho, vontade e atitude. Time para ser campeão precisa vencer suas próprias deficiências (no caso, ausências), seu adversário, e o juíz – como no último jogo.

E é bom acelerarmos o passo, de preferência vencendo os bambis no próximo jogo.

Ainda estamos com a metade dos pontos do líder do campeonato e todos sabemos como tem gente na CBF e na imprensa do centrão LOUCA de vontade para ele ser campeão a qualquer custo.

Olho vivo.

msguenter disse...

Fecho contigo, Maylson jogou de atacante!!!
Se ja é sofrivel no meio, no ataque briga com Willian pelo título de pior em campo...

André Kruse disse...

Tarsis, tu tens razao. Essa raça demonstrada fui um dos aspectos fundamentais pra vitória.

Dinho Cangaceiro disse...

Já que a votação da terceira camisa não acontece, a direção lançará a escolha do layout da pintura do Olímpico.

Será mais uma lenda do Departamento de Marketing?

Obs: Quando que a Brigada vai acabar com aquela palhaçada de transformar os arredores do Bar Preliminar numa Faixa de Gaza? Para que tanto estardalhaço em dia de jogo tranqüilo.