quarta-feira, dezembro 01, 2010

Reunião do Conselho - 30 de Novembro de 2010


Ontem foi realizada mais uma reunião do Conselho Deliberativo do Grêmio. A ordem do dia era a seguinte: 1)Tomar conhecimento sobre o andamento do Projeto Arena pela Grêmio Empreendimentos; 2) Apreciar e votar proposta de suplementação orçamentária para o exercício de 2010; 3) Discutir e votar o orçamento do exercício de 2011.

A sessão começou com a lembrança do falecimento do conselheiro Alfredo Oliveira, o Carioca, para quem o Presidente Raul Régis pediu uma salva de palmas. Logo após, foi realizada a leitura e aprovação de atas. O conselheiro João Manoel Martins Silva lembrou que deveria ser acrescido a ata da ultima reunião o dado sobre o número de conselheiro presentes, o que foi prontamente aceito pela mesa.

Na sequência, o presidente Duda Kroeff e o vice Marcos Herrmann falaram brevemente sobre a conclusão do trabalho do planejamento estratégico, assunto que não foi tratado nessa reunião em virtude da extensa pauta.

Aí então começou a apresentação sobre a Arena. Ao contrário do que foi noticiado no site da Zero Hora, não foi exibido vídeo algum, e sim um powerpoint. Adalberto Preis fez um minucioso histórico do projeto, desde a sua propositura. Foram vários fatos e documentos ressaltados e apresentados. Destaco alguns dados:
- Preis elogiou muito o trabalho do Carlos de la Corte. Afirmou que a contratação dessa consultoria foi um ponto fundamental no andamento do projeto, e mostrou alguns exemplos de modificações realizadas em função do trabalho realizado sobre pontos cegos.
- Foi mencionado o estudo realizado sobre o quadro social do clube, onde foi recomendado , entre outras coisas, um censo sobre os sócios.
- Foi feito um comparativo do fluxo de caixa na Arena e no Olímpico. Também se ressaltou que o borderô dos jogos do Olímpico já conta com uma simulação de como seria na Arena
-Preis lembrou do trabalho do conselheiro Ricardo Seibel de Freitas Lima e foi imediatamente interrompido por um longa salva de palmas.
- A área do antigo Deprec atualmente disponível para o CT é suficiente para a construção de dois campos de grama natural, mais um campo de grama sintética e um prédido com vestiários/alojamentos.
- Preis lembrou das diversas sugestões encaminhadas a Grêmio empreendimentos, entre elas as feitas pelo BloGrêmio. Foi mencionada a existência de um projeto que prevê a venda das atuais cadeiras do estádio Olímpico.
- Preis disse que se pudesse fazer uma única recomendação a futura gestão ela seria a de tentar manter Carlos de La Corte no projeto.

Preis foi aplaudido de pé por todos os presentes. Raul Régis saudou o trabalho feito por Preis e colocou a palavra a disposição:
- Paulo Ferrer enalteceu a condução da Grêmio empreendimentos.
- Marcelo Aiquel sugeriu que fosse registrado em ata um voto de louvor (o que foi prontamente aceito).
- Glenio Mello agradeceu Preis em nome da comunidade arena do orkut.
- Nestor Hein também parabenizou Preis, e perguntou se o Grêmio tinha obrigação de ceder o campo para treinamento da copa. A resposta de Preis foi de que o Grêmio tinha se obrigado no momento em que aceitou o convite, mas que não há nenhuma sanção prevista para o caso de não cumprimento.
-Paulo Luz lembrou do trabalho realizado por Preis.
- Rogério Porto sugeriu que além de uma consultoria, fosse também mantido um engenheiro do Grêmio na fiscalização das obras.

O próximo tema tratado foi o da suplementação orçamentária. Em virtude da ausência de Irany Sant´ana Jr. (em viagem profissional) a apresentação foi feita por Cláudio Tavares. Alguns destaques:
- A justificativa de tal proposta reside no fato de as receitas realizadas terem sido cerca de 6% menor do que o previsto, enquanto as despesas foram cerca de 11% superiores ao previsto no orçamento.
-As causas da diminuição da receita teriam sido a queda no Pay-Per-View, bem como um menor faturamento com venda de atletas e mecanismo de solidariedade e ainda uma menor arrecadação do quadro social em virtude da parada da Copa do Mundo.
- Já o aumento das despesas teria sido causado principalmente pela amortização de gastos com jogadores da base dispensados e com Réver e Herrera (que foram vendidos). Tavares garantiu que isso tinha mais efeito contábil do que propriamente no caixa.

O conselheiro Roberto Sommer leu o parecer do Conselho Fiscal sobre a suplementação, repudiando a prática de extrapolar a orçamento previsto, que no primeiro semestre já haviam indícios de que isso ia acontecer, no fim sugeriu que fosse aprovada a suplementação.

Em nome da Comissão de Finanças, o conselheiro Carlos Biedermann reiterou a preocupação com os números apresentando, dizendo que clube não usa o orçamento como peça de gestão. Recomendou a aprovação da suplementação, mas ressaltou que a lição deveria ser aprendida.

O Presidente Raul Régis colocou a palavra a disposição.
-Tomas Hartmann questionou o papel do conselho frente a tal pedido, lembrando que o conselho foi apresentado a esses números na própria reunião, ficando prejudicada uma avaliação mais profunda.
-Eduardo Antonini justificou a ausência de Paulo Odone, Vicente Martins e Ricardo Vontobel, mencionando que os mesmos estavam numa reunião com potenciais investidores. Garantiu que a futura gestão está tratando do orçamento com a atual gestão e recomendou que a suplementação fosse aprovada.
- Homero Belini se mostrou preocupado com os números apresentados. Disse que podem ter ocorrido equívocos na montagem do orçamento, que questões como receitas prevista em vendas de atletas e mecanismo de solidariedade são incertas e devem ser revistas, mas disse que a suplementação deveria ser aprovada. Parabenizou Preis pelo trabalho feito e os conselheiros pelo unidade em torno do tema da arena, se tratando de prova de que o Grêmio, quando unido, é capaz de atingir seus objetivos. Por derradeiro, lembrou das críticas feitas no conselho ao futebol e fez questão de parabenizar o presidente Duda pela recuperação no segundo semestre, torcendo para que Duda devolva o clube na Libertadores.

O vice-presidente Marcos Hermann falou sobre a projeção orçamentária para 2011, dizendo que a idéia não era de engessar a próxima gestão, e sim de flexbilizar. Que existem ao menos 4 variáveis macros (Ida a Libertadores, fim do contrato Banrisul, novo contrato de TV e Ppano de capitalização)

A palavra foi colocada novamente a disposição:
- Diego Casagrande requisitou que os números fosse disponibilizados aos conselheiros com maior antecedência.
- Denis Abrahão solicitou que fosse feito um pacto para que as informaçoes não fossem "vazadas" para a imprensa.
- Jeferson Thomas sugeriu a criação de limites de alçadas, adequando o clube a governança.
- Também fizeram intervenções os conselheiros Zé Pedro Goulart, Gustavo Schmitz, Fernando di Primio Conceição, Francisco Santos, Ricardo Gothe, Nestor Muller, Pierre Gonçalves, Alberto Brentano e Nestor Muller.

E, o presidente Duda Kroeff encerrou a reunião falando que assumiu com a idéia de que cumprir o orçamento, mas que isso é muito díficil (Disse que em 2004 ele via a direção muito preocupada em seguir o orçamento ).

Enfim, foi uma reunião bem extensa. Talvez tenha me escapado algum detalhe. O conselheiro Glenio Mello fez um relato bem interessante na comunidade Movimento Grêmio Arena no Orkut.

Estiveram presentes 215 conselheiros (198 titulares e 17 suplentes). 31 conselheiros justificaram suas ausências.
(Ata disponível em http://www.gremio.net/downloads/ata_conselho_30-11-2010.pdf )

4 comentários:

Erik disse...

Parabéns, André. Excelente relato, assim como todos, que costumo ler com muita atenção.
Esta transparência na informação do CD do Grêmio é uma das coisas que faltava.
A instituição, Grêmio, é que deveria adotar este procedimento para bem informar a todos os associados gremistas.
Espero que a nova gestão faça as transformações democráticas para o bem do clube.

Diogo disse...

Bom saber que o projeto da Arena está sendo tratado com seriedade e transparência.

Obrigado, André, por relatar a reunião. Continue nos mantendo informados sobre o Conselho.

Carlos disse...

AK, ótima descrição sobre o q aconteceu. Legal ver q hoje em dia temos acesso ao que acontece dentro do grêmio.

Sobre essa venda de cadeiras do olimpico, o q seria? Memorabilia? Venda para colecionador depois q o olimpico for demolido?

Gostaria muito q fossem vendidos pedaços do olimpico depois da implosão, como recordação...Foi feito isso na Bombonera e juntou uma bela grana...aposto que muita gente, se for um preço módico, vai comprar...eu sou um q gostaria MUITO de um pedaço do olimpico emoldurado na minha casa...fica a dica...

André Kruse disse...

Agradeço os elogios. Minha intenção é justamente essa, de que o sócio saiba o que acontece nas reuniões do conselho.

Carlos, não sei como vai ser feita essa venda. O Preis apenas citou um projeto neste sentido, projeto este que foi feito por dois sócios.