terça-feira, janeiro 29, 2008

Aílton - Gol do Título

Aílton, Grêmio e Portuguesa, 40 do 2º tempo, gol do título. Tudo isso é de conhecimento comum. Também é razoavelmente sabido que ele saiu gritando "Eu sou foda" e "Aplaude agora, porra". Se imagina que a segunda frase era dirigida a parte torcida, que pegou no pé dele durante o campeonato (Emerson se recuperava e era reserva).

Mas, na semana passada, na qualidade de técnico do Cabofriense, Aílton (agora Aílton Ferraz) compareceu no programa Tá na Área do Sportv. Lá pelas tantas são mostradas imagens de gols do jogador e como não poderia deixar de ser aparece o gol contra a Portuguesa e sua comemoração. Então o apresentador Marcelo Barreto perguntou:- foi um desabafo para a torcida? Aílton deu um sorriso amarelo e respondeu: Na verdade foi para vocês da imprensa.

Abaixo o gol, com o já clássico comentário de Rivellino



6 comentários:

Márcio C. M. disse...

Mto bom!

Voltando ao assunto marketing, olha o que a mobilização de uma torcida e um departamento de marketing que está ligado ao "consumidor" do clube (torcedor) fazem:

Palmeiras muda cor do logo na manga da camisa

O Palmeiras mudou o logo da Suvenil na manga de sua camiseta. Agora, a palavra da empresa de tintas aparece na cor branca, no uniforme principal, tanto na parte interna e externa da camisa.

Um site não oficial do Palmeiras, editado por torcedores, lançou uma campanha para que a Suvenil mudasse as cores da logomarca na manga da camisa. A marca colorida desagradou aos torcedores.

O novo uniforme deve ser usado pela primeira vez na partida contra Noroeste, no próximo sábado, em Bauru.

Lancepress!

André Kruse disse...

A camisa preta em 2005 foi, de certa forma, resultado de mobilização da torcida.

Ainda bem que o Palmeiras mudou, tava horrivel. tinha visto noticia parecida.

http://maquinadoesporte.uol.com.br/new/noticias.asp?id=8088

SEGUNDA-FEIRA, 28 DE JANEIRO DE 2008 - 08h24

Logo na camisa passa por estudo

Da Máquina do Esporte
São Paulo

Assim que foi apresentada a camisa do Palmeiras com o patrocínio da Fiat, ainda no ano passado, o uniforme se destacou pela manutenção das cores tradicionais do clube (verde e branco) mesmo no logo da nova parceira. Isso, porém, não aconteceu com a Suvinil.

Com um logotipo cujas cores passam entre amarelo, laranja e vermelho, a marca estampada nas mangas da camisa do Palmeiras se tornou um contraponto ao tom predominantemente verde do uniforme.

Ciente da possibilidade de que essa mistura de cores possa desagradar torcedores, principalmente os mais conservadores, a Suvinil admite que está monitorando a reação da torcida.

“O que sabemos é que quando entrou o Habib’s na camisa do São Paulo teve a mesma movimentação, não só pelo patrocínio em si, mas pelas cores e o tipo de negócio feito. Nós esperávamos também alguma repercussão, mas estamos vendo quanto isso é positivo ou negativo. Estamos medindo e analisando para tomar qualquer decisão nesse sentido”, afirma Mirian Zanchetta, gerente de propaganda e promoção da Suvinil.

Por conta de a fabricante de uniformes do clube ser a Adidas, a Suvinil tem outro problema adicional para estampar sua marca. Por contrato, o ombro do uniforme palmeirense tem de ser reservado às três listras características da empresa alemã. Com isso, a marca da Suvinil teve de ser colocada abaixo das listras, local que não é comumente usado e que fica mais difícil de ser focalizado pelas câmeras de TV.

Bruno disse...

O nome do site é "palmeirastododia", se eu não me engano. É verdade, moro em São Paulo, e pude ver que a camisa com a estampa da Suvenil não agradou os palmeirenses. Eram cores que tinham nada a ver com as cores do clube. E isso é geral. Lembro-me de uma camisa do Avaí, toda azul (muito bonita), com uma circunferência gigantesca da Claro, e na cor vermelha. Estragou a camisa. E obviamente, atrapalha no marketing do clube. Sobre o gol do Adílson, eu me lembro exatamente como se fosse ontem. Eu tinha 11 anos, estava sentado na sala da casa onde morava, em Santo André, o meu padrasto corintiano também assistia ao jogo. Estava sentado, quase roendo as unhas. E quando o Aílton fez o gol, cara, eu pulei de alegria, o meu padrasto pensou que eu estava maluco! Foi inesquecível! Até mais!

Bruno disse...

Aliás, por falar na camisa preta de 2005 (que eu a tenho), eu não entendo o motivo do Grêmio não jogar com ela. No estatuto, é permitido o uso do uniforme reserva (ou de visitante) nas cores azul, branca ou preta. Veja o exemplo da camisa "caneta grifa texto" do Palmeiras, que mesmo sendo feia (para a minha opinião), fez o maior sucesso e toda hora eu vejo um palmeirense a usando. Muito disso, porque o time joga com ela. O Grêmio deveria fazer a mesma coisa, ainda mais para fazer com que os gremistas de fora do Rio Grande a comprassem, ou até para colecionadores. Porque fora do estado, são raras as pessoas que têm conhecimento sobre essa linda camisa. Saudações.

San Tell d'Euskadi disse...

Passei o campeonato de 1996 inteiro discutindo nas cadeiras com os corneteiros que não gostavam do Aílton. Sempre achei que aquele gol foi para mim. Gritei "eu sou foda" junto com ele...

P.S.: Que a minha esposa não me ouça, mas... não há mulher no mundo que me dê mais prazer do que eu tive com esse gol do Aílton!

alisson disse...

Galera, o que eu nunca vou esquecer desse dia é narraçao do Galvão Bueno, com voz chorosa: "Gol do Grêmio. Agora a Portuguesa tem 5 minutos para fazer um gol e ser campeã do Brasil!" Ehehehe!! Eu também acho que foi um dos gols que me deu mais prazer!! Lembram como a imprensa chamava a Portuguesa? De namoradinha do Brasil! Toda a imprensa vermelha torcendo para eles... e o Imortal foi lá e "estuprou" a namoradinha do Brasil!
HAHAHHAHA!
DÁ-LHE, IMORTAL!!!