quinta-feira, janeiro 31, 2008

Propostas - Arena

Saiu ontem na Zero Hora mais detalhes sobre as propostas para Arena. Nenhuma grande novidade. Minha preferência sempre foi por permanecer na Azenha, principalmente se a mudança levar o estádio para os limites da cidade. Na reportagem, parece claro que a proposta da TBZ é melhor financeiramente e parece mais simples, pois não envolve compra e venda de terrenos. Por outro lado há a limitação de espaço e a questão do estádio em Eldorado não foi suficientemente esclarecido. 14 mil lugares é pouco, lembrando que o Grêmio tem mais de 30 mil sócios e média de público maior de 20 mil pessoas por jogo. Enfim não me parece uma escolha fácil, espero que os conselheiros reflitam bastante antes de tomar a decisão.


Agora, é só escolher
Portugueses entregam hoje proposta para a Arena


O Grêmio recebe hoje a proposta definitiva do consórcio português TBZ-OAS - que sugere demolir o Olímpico e construir a Arena na Azenha. A oferta final da Construtora Norberto Odebrecht - com a obra no bairro Humaitá - foi entregue semana passada. A previsão do clube é que a Arena esteja concluída em janeiro de 2012.

Após análises das propostas, o grupo de estudos do projeto (composto pelo presidente do Grêmio, Paulo Odone, pelo diretor de planejamento do clube, Eduardo Antonini, além dos conselheiros Antônio Britto, Jorge Gerdau Johannpeter e Alexandre Grendene) exigiu dos consórcios melhores condições para o clube - como maior percentual de participação nos primeiros 20 anos de exploração da Arena.

Entre os dias 11 e 20 de fevereiro, o Conselho Deliberativo será convocado para escolher o local de construção da Arena. A oferta da Odebrecht é a favorita. Após a escolha do local, o contrato deverá ser assinado até maio. Depois, serão necessários pelo menos nove meses até que o município e o governo do Estado emitam autorizações definitivas para a construção. Neste intervalo, será criada a Grêmio Empreendimentos - empresa do próprio clube, que gerenciará a Arena e da qual Paulo Odone dificilmente será presidente.

A proposta da Odebrecht prevê divisão de lucros em 50% pelos primeiros 20 anos: bilheteria, aluguel de espaços, shows, estacionamento, entre outras formas de arrecadação. Depois deste prazo, a Grêmio Empreendimentos ficará com 100%.

A obra terá um custo total de R$ 300 milhões, sendo R$ 190 milhões financiados pela Odebrecht. Dos R$ 110 milhões restantes, metade sairá da venda do Olímpico - já há um investidor interessado no estádio, que seguirá sendo utilizado pelo Grêmio durante os três anos de construção da Arena - e os demais R$ 55 milhões serão investidos pela própria empreiteira. A Odebrecht acertou a compra do terreno da Habitasul - junto à Avenida Castelo Branco, no bairro Humaitá - por R$ 40 milhões.

Já o projeto da TBZ-OAS prevê a demolição do Olímpico. Levará três anos para ser concluída. O consórcio construirá um estádio para 14 mil pessoas em Eldorado do Sul. A obra terá um custo de R$ 280 milhões, e a TBZ-OAS assumirá o financiamento junto ao banco português Efisa. Nos primeiros 20 anos, os lucros da Arena serão 65% para o Grêmio e 35% para o consórcio.

Ambos os projetos prevêem estádio coberto, para 50 mil torcedores sentados em cadeiras e três andares de arquibancadas. O modelo é o Emirates Stadium, do Arsenal, erguido pela companhia aérea Fly Emirates. O Grêmio venderá o nome da Arena para uma multinacional por R$ 5 milhões anuais. O ingresso mais barato ficará entre R$ 25 e R$ 30.

- Ambos os projetos são viáveis. O clube manterá a sua autonomia no futebol e em receitas advindas da marca Grêmio, bem como a venda de jogadores - disse o diretor de planejamento gremista, Eduardo Antonini.

( leandro.behs@zerohora.com.br )
LEANDRO BEHS


As opções

ODEBRECHT:
-Arena no bairro Humaitá (em 34 hectares)
-Custo: R$ 300 milhões
-Previsão de construção: três anos
-Complexo com estádio, centro empresarial, lojas, hotel, e estacionamento para sete mil veículos
-A proposta da Odebrecht prevê divisão de lucros em 50% pelos primeiros 20 anos: bilheteria, aluguel de espaços, shows, estacionamento, entre outras formas de arrecadação

TBZ-OAS:
-Arena na Azenha (em oito hectares)
-Custo: R$ 280 milhões
-Previsão de construção: dois anos (mas o Grêmio já projeta em três anos)
-Complexo com estádio, centro de convenções, shopping, hotel, edifício residencial, e estacionamento para cinco mil veículos
- Nos primeiros 20 anos, os lucros da Arena serão 65% para o Grêmio e 35% para o consórcio

2 comentários:

Marcos Vinicius disse...

Com certeza a torcida gremista vai optar pelo novo estádio aonde é o atual olimpico! Ali naquele terreno vieram as maiores conquistas e seus maiores fanáticos! o endereço e bairro do Grêmio são na Azenha.
Não podemos acreditar que a nossa torcida se esconda para aqueles lados de lá! abraço pessoal

Guilherme disse...

Tambem sou a favor de manter o GREMIO na Azenha, mas parece que tal assunto nao tem muita importancia para os nossos conselheiros... Ontem a TBZ entregou a proposta final e dos 313 conselheiros aptos para votar, 80 se interessaram em analisar o projeto. Uma obra de extrema importancia para o clube, um estadio para mais um seculo!

CONSELHO DE MERDA!