sexta-feira, julho 06, 2007

Declarações e Ponderações

Vou tentar fazer um apanhado de declarações sobre a escolha do nome de Britto e fazer alguns comenários em cima delas. Como eu tenho um ponto de vista bem definido, estou sim sendo parcial e estou sim escolhendo somente as declarações e os trechos que melhor me convem:


"Eu o conheço bem, é um político de vários anos no Estado do Rio Grande do Sul e vários cargos. Foi homem de imprensa. Só que o seguinte: ele é conselheiro desde 1996. E se tu vires as atas de presença no Grêmio nesses anos todos, eu não sei se ele faz uma presença por ano. Acho que ele não faz 10 presenças. É uma pessoa que tem suas qualidades, mas acho que não é homem para o Grêmio" (Hélio Dourado)

"A saída do Odone já era esperada em função da futura construção da nossa arena. Mas fui surpreendido com a indicação do ex-governador, pessoa à qual não tenho nenhuma objeção, mas não o vinculo ao Grêmio de forma a ele merecer a presidência do clube. Vejo o autolançamento do Sérgio Ilha Moreira como uma bela alternativa. E se isso ocorrer, eu o apoiarei, ou mesmo alguém que venha de forma alternativa, pois rejeito a possibilidade do Britto, a quem eu insisto, não tenho a menor restrição quanto a aspectos e predicados pessoais" (André Krieger)

"
Sou um torcedor, que depois virei conselheiro. Um sujeito apaixonado pelo Grêmio. Cuja atividade pública recomendava que eu não me revelasse como gremista, mas paixão é paixão." (Antônio Britto)


Essas três declarações deixam bem claro que Britto não é gremista o bastante para assumir a presidência, ou se preferirem mostra que não é uma pessoa com o engajamento necessário. Que história e essa de atividade pública não recomendar que se revelasse? Que gremista tem vergonha de ser gremista? Que tipo de gremista esconde que é gremista só pra ganhar mais votos? Dizem que a atividade pública recomenda que ele não revele outra coisa também, mas isso não é assunto para agora.


"Manifestei ao presidente Paulo Odone a minha disposição de pretender disputar a presdiência do Grêmio. Quando tomei conhecimento, pelos jornais, que Antônio Britto, que é meu amigo pessoal, viria como sucessor e por ser estranho à atual diretoria, eu entendi que era o momento de apresentar o meu nome. Fui muito franco e disse a Odone que se ele apresentasse qualquer um dos vices atuais eu não teria objeção nenhuma, pois seria uma continuidade da atual diretoria e da gestão exitosa" (Sérgio Ilha Moreira)

Para mim existe uma premissa anterior ao exame de qualquer nome. A eleição que nós teremos será para o ‘cabeça’ de uma chapa que já existe. Temos seis vice-presidentes que estão trabalhando há dois anos e meio. Por isso acho complicado o lançamento de alguém de fora para trabalhar por mais um ano e meio com estas pessoas que já estão lá dentro e que já possuem uma idéia de gestão" (Homero Bellini Jr)

Todos sabemos da impossibilidade do Túlio Macedo, mas por que não indicar alguém da atual administração. Assim fosse, seria até razoavél um consenso, dispensando eleições. Britto não significa automaticamente continuidade da atual gestão.


"A decisão do grupo (Grêmio Imortal, grupo liderado por Renato Moreira) é contrária a forma com que o candidato foi escolhido. Se ele concorrer, eu e meu grupo estamos fora do Conselho de Administração" (Carlos Josias)

"Não seria o caso de levarmos à apreciação da Assembléia Geral? Do nosso associado? Aliás, a prática democrática sempre foi e é bem-vinda. No meu entendimento este seria o momento" (André Krieger)

Me parece claro que ninguém gostou da forma como foi feita escolha. Do dia pra noite Britto foi "nomeado" para presidência do Grêmio. Pro meu gosto, a eleição pra presidente do Grêmio sempre deve passar pelo associado, mesmo quando houver consenso no conselho deliberativo. Não resta dúvida que Britto não é unanimidade, logo acredito que deverá passar pelo crivo dos sócios, mesmo que seja candidato único.

O momento do Grêmio, de construção de estádio, deveria ser um momento de comunhão, de consenso, de lideranças capazes de agradar todos setores do clube. Britto, logo de cara, não é uma dessas lideranças, a rejeição dele chega a ser assustadora. Nunca vi um presidente do Grêmio ter que provar que era gremista, mostrar que entende de futebol, isso sempre deveria transparecer na pessoa.

É claro que tem pessoas que são favoravéis ao ex-governador, mas estas pessoas estão é dando o benefíco da dúvida para ele, o tal "esperar pra ver", ou estão se apegando ao fato de que Britto é indicação de Koff, Odone e Cacalo. Para mim, por mais importante que sejam este três, o simples fato de ser uma indicação deles não torna Britto um nome bom para a Presidência do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense..

5 comentários:

Luan disse...

Total apoio às suas palavras.
Crise de novo? Por favor, não.
O coração gremista ainda está recuperando-se por conta da libertadores...

alisson disse...

Falou tudo, cara!

Anônimo disse...

concordo,
mais tu mudou as palavras de Antonio Brito
el disse:
"Sou um torcedor, que depois virei conselheiro. Um sujeito apaixonado pelo Grêmio, e senpre manifestei isso apersar de muitos me dizerem que não era recomendado por causa da atividade publica que eu execia"

André K disse...

Eu não mudei nada.
copiei e colei o a transcrição feita pelo FinalSports

Anônimo disse...

Então quem alterou foi a FinalSports...