segunda-feira, agosto 21, 2006

Flamengo 1 x 0 Grêmio


Não consegui assistir o jogo. De qualquer modo o Grêmio perdeu uma boa chance de somar 3 pontos, pois o Flamengo não em nada superior ao Tricolor.

Marcelo errou feio no gol. Primeiro por não ter saído com as mãos, depois por ter chutado daquele jeito. Goleiro quando sai do gol tem que sair pra matar, a bola tem que ser dele.

A respeito disso achei interessante a declaração do Pelaipe: “Em futebol, é preciso ter convicção. O Grêmio vai seguir apostando nos goleiros que tem em casa. Me aponte um goleiro melhor do que ele que esteja disponível”. É verdade, não nenhum goleiro disponível, e Marcelo é um bom goleiro, mas tem que deixar de ser trapalhão.


FLAMENGO 1 x 0 GRÊMIO

FLAMENGO: Diego; Leonardo Moura, Renato Silva (Ronaldo Angelim), Fernando e Juan (Walter Minhoca); Paulinho, Léo Medeiros, Renato Augusto e Renato; Sávio e Luizão (Obina).
Técnico: Ney Franco

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Patrício, William, Pereira e Wellington; Jeovânio, Lucas, Tcheco e Rafinha (Herrera); Hugo (Léo Lima) e Rômulo (Valdeir).
Técnico: Mano Menezes

Data: 19/8/2006 (sábado)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Renda: R$ 206.210,00
Público: 20.487
Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF)
Assistentes: César Augusto de Oliveira Vaz (DF) e Eremílson Xavier Macedo (DF)
Cartões amarelos: Ronaldo Angelim, Obina, Renato Silva, Walter Minhoca, Fernando e Juan (Flamengo). Tcheco, Rafinha e Wellington (Grêmio).
Cartões vermelhos: Wellington, aos 27 minutos do segundo tempo (Grêmio). Obina, aos 36 minutos do segundo tempo (Flamengo).
Gol: Renato, aos 45 minutos do segundo tempo.



4 comentários:

Paulo Brito disse...

Amigo, não quero brigar com você.Até porque te acho ponderado, diferente daquelas gazelas Arigaytô e perséia.O Palmeiras de 1995 não tinha mais nem o Edmundo e nem o Roberto Carlos.Sim, teu time foi valente em vários momentos mas não foi uma boa competição, assim como a de 1997.Consigo citar alguns momentos de superação do Inter.As duas viradas sobre o pumas, a virada em cima do nacional lá em montevideo, a vitória sobre o são paulo no morumbi.É isso!Desculpe se te faltei com o respeito!!!
Saudações!!!
ps:vou torcer pelo teu time para que no ano que vem tenha gre-nal na libertadores!!!

Ramiro Severo disse...

vendo teu comentário sobre o marcelo, queria dizer que eu ando reconsiderando meu padrao para o que é um bom goleiro. Porque eu nao achava o marcelo bom. nao achava o galatto bom. ainda acho o clemer uma merda. assim como o diego do flamenho, o andre do juventude, o fernando henrique do flu... .
Ae resolvi mudar de opiniao. Porque "bom" e "ruim", quando se trata de jogadores de futebol, sao valores relativos. nao ha como todos os goleiros de um campeonato serem ruins, tem como eles serem medianos dentro de um nivel baixo. é o que eu acho da maioria dos goleiros do brasil, com excecao do rogerio ceni e do marcos (em um nivel) e do fabio e do bruno (em outro)

André Kruse disse...

Acho o Marcelo mais promissor que o Gallato.

Não gosto muito do Rogerio Ceni, acho que ele aparece mais pelos gols feitos.

Não gosto tambem do Fabio e do Fernando Henrique, pra mim os dois se valem muito do oba-oba dos cariocas. O bruno eu quase não vi jogar.

o Marcos eu gosto, mas nunca mais jogou.

Acho o André um bom goleiro, contra o gremio ele jogou muito.

André Kruse disse...

ok. Ponto de vista contrário é bem vindo, desde que bem informado.

Edmundo jogou sim. Jogou a primeira fase e inclusive fez gol no Grêmio.

Cafu e Roberto Carlos jogaram juntos no 5 x 0, alem deles o Palmeiras tinha ainda Antonio Carlos, Flavio Conceição, Rivaldo e Muller. Não sei como algume pode achar este time fraco.

A competição em 1995 não foi fraca não, alem do Gremio e do Palmeiras tinhamos:

Nacional da colombia: tinha Higuita, Serna, Angel e Aristizabal.

Velez Sarsfield: Chilavert, asad, era o campeao da libertadores e do mundo naquela epoca.

River Plate: Francescoli e Crespo, base do time que foi campeao da libertadores no ano seguinte.

Independiente: Usuriaga, Burruchaga, Cagna, Campeao da Recopa em 1995 e Bicampeao da Supercopa em 94/95