quarta-feira, agosto 02, 2006

Memória Fraca

Muitos pessoas tendem a "esquecer" fatos lamentaveis que ocorreram anteriormente no Beira-Rio. Só no ano passado foram 2: a final da libertadores entre Atlético e São Paulo e Inter 2 x 2 pelo campeonato brasileiro.


Quarta, 6 de julho de 2005, Libertadores
Atleticanos e são-paulinos brigam no Beira-Rio

"Torcedores de Atlético-PR e São Paulo entraram em confronto no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, momentos antes do primeiro jogo da final da Copa Libertadores, nesta quarta-feira.
Como ocorre geralmente, os torcedores ficaram se provocando, com gritos e xingamentos, mas depois os atleticanos conseguiram arrancar a grade que os separavam dos são-paulinos e iniciaram o tumulto.
As duas torcidas ficaram em confronto por cinco minutos até a polícia chegar ao local. Depois os policiais formaram um cordão de isolamento."

obs: A grade era muito parecida com que os torcedores do Grêmio quebraram, ou seja já se sabia da fragilidade do material e podia se imaginar que tal evento ocorresse, mesmo assim nada se fez, não havia nenhum policial ali.

Campeonato Brasileiro 2006- 29ª Rodada- 1º/10/2005Numa briga iniciada dentro da Torcida Organizada Camisa 12, a Brigada Militar interviu e os torcedores da referida torcida encurralaram os Brigadianos em um setor do campo. A Policia logo revidou causando pânico em todo o estádio.No saldo final mais de 40 feridos (numero bem superior aos 8 deste domingo). Em comum o mesmo palco e a mesma entidade responsavel pela organização. Nos dois casos, nem Atlético, nem São Paulo, nem Inter e nem Fluminense foram punidos. O Beira Rio não foi interditado. E não se ouviu nenhum dos falsos moralistas da imprensa gritando por punições.

Contudo, com o Grêmio na jogada parece que a coisa muda de figura

8 comentários:

Ramiro S disse...

André,

Internacional e Fluminense nao foram punidos, mas a camisa 12 teve seus instrumentos temporariamente suspensos e alguns de seus membros suspensos em definitivo. o Comante da BM também foi afastado do posto. Maiores punicoes a BM nao progrediram por um problema juridico entre BM e Civil, que discordaram sobre quem deveria julgar os brigadianos. A imprensa condenou as organizadas, mas focou suas criticas na BM, que, por muito menos, reagiu muito mais violentamente do que no incidente de domingo.
Quanto a estrutura do Beira Rio, quaisquer criticas nao podem ser feitas a diretoria colorado, e sim ao Procon, que inspecionou o estadio antes do jogo e o aprovou em todos os quesitos. A copia da aprovacao do Procon encontra-se no site do internacional. portanto, se a tal grade é muito fraca, a culpa é do procon que nao exige uma estrutura mais forte.
quanto as pedras, elas sairam ou das arquibancadas proximas a grade, que se quebraram junto com a destruicao da grade, ou foram levadas de fora do estadio para dentro. No primeiro caso, a culpa voltaria a ser do Procon. no Segundo, a culpa é da Brigada, responsável pela revista antes de entrar no estádio.
A falta de policiamento que permitiu a destruição da grade também nao é de responsabilidade do inter. A direção colorada informa a BM quantas pessoas sao esperadas no estádio. A quantidade de efetivo e os locais de policiamento sao definidos pelo comando da BM.
Quanto ao uso de banheiros químicos, pode-se questionar seu uso, mas a utilizacao deles sao permitidas. estive no maracana este ano e tinham banheiros ecologicos la.
PAra finalizar, referente aos incidentes no paraguai, confesso que nao estou por dentro. Aceito que, moralmente,eles possam ter sido tao graves quanto os ocorridos no grenal. Entretanto, o regulamento é diferente: na libertadores, só ha punição ao clube se for necessario a interrupocao do jogo. Isso nao ocorreu nem em assuncion, nem no beira rio na final entre sao paulo e atletico paranaense. Alias, neste jogo, o Internacional nao era a entidade responsavel pelo jogo. Ele simplesmente alugou o estadio ao atletico pr.
Para finalizar, no que diz respeito a lei, tu citaste dois pontos. Primeiro, que o gremio poderia ser isento da culpa se identificasse os culpados. Ouvi o procurador do STJD dizendo que isso é verdade, mas que o gremio teria que apresentar os culpados em até 48 horas (se nao me engano), junto com um boletim de ocorrencia e outras exigencias legais. Como até agora o gremio só identificou uma pessoa, acho dificil conseguir enquadrar-se. Quanto ao segundo ponto, o estatuto, se nao me falha a memoria, fala que se o arremesso de objetos parte da torcida adversaria, a responsabilidade é do clube da torcida infratora.
lembrando que briga entre torcidas nao da punicao. o que da punicao é arremeso de objetos no gramado.]para finalizar, o "roubo" de ingressos nao pode ter sido de 5 mil. se assim o fosse, na final do gauchao teria havido apenas 3 mil gremistas no beira rio.
Punir um clube pela atitude de uma parcela de sua torcida é uma atitude altamente discutivel. Ainda mais quando se tratam de objetos arremessados ao gramado, algo virtualmente impossivel de controlar e onde uma só pessoa pode agir. mas é a lei. muitos clubes já foram punidos.

Um abraço, Ramiro

Anônimo disse...

Deco to colando oq eu escrevi para o Bruno pra n te q escreve de novo

Bruno, acho extremamemte mais confiável a opinião dos especialistas em direito que eu ouvi ao longo dos últimos dias na imprensa - um promotor, uma delegada e outra pessoa do direito q eu n sei o q exatamente era - à opinião parcial e passional do meu primo! Confesso q n li a lei, bastou eu entrar no blog dele e ler seu último post e ja não confiar na opinião de vcs qnto a esse fato! Ele relata incidentes recentes acontecidos no Beira-Rio ( no jogo q era do inter a Camisa 12 foi punida), imputando a culpa ao Inter e a BM discretamente! Se fosse imparcial, colocaria outros incidentes recentes, q qm não tem memória curta tb lembram: Grêmio 1 X 3 Inter (se bem me lembro ate carrinho de pipoca isolaram no campo- não houve indiciamento de alguém, acho q o gremio perdeu o mando de alguns jogos); Inter 1 X 1 Grêmio (gremistas destruíram banheiros do Gigantes, copa roubada, prejuízo de 80 mil reais pagos pelo Inter- Nenhum indiciamento, Grêmio não foi punido); Figueira 2 X 0 Grêmio (confusão gerada pela torcida do Gremio no estádio - n sei sobre punições)! Portanto, acho bem mais imparcial nesse caso a opinião da imprensa a qual chama de hipócrita e falsa! Além disso, acho q a justiça seria feita se qm tivesse feito a merda fosse responsabilizado, mas sabendo q isso é um tanto o quanto utópico qm deve pagar é o Grêmio! Se for pesada a punição, a mesma merda não ocorrerá!
Abraço
Henrique Comiran

Anônimo disse...

Li teus outros Posts agora:
Sinceramente tu achas que o incidentes dos ingressos no penúltimo Grenal (acho q mais de 3 meses atrás) catapultaram a baderna desse último? Ou o fato do Alessandro? Ou melhor, tu acha que alguém que ateou fogo tinha conhecimento do fato do Alessandro? Eu acredito que não! Poderia te propor outras causas: inveja pela campanha do inter na Libertadores (tão exaltada pelos gremistas), inveja de um estádio que cresce em beleza e estrutura! Acredito que isso tb não é verdade!
A causa é de um ódio exacerbado , que ja fora normal, que alguns indivíduos alimentam pelo rival e que extrapolou -aí que reside a gravidade do acontecimento - unilateralmente a esfera de ´´torcedores organizados´´(cientes do risco) e se generalizou para toda masssa torcedora! Além disso, a culpa é de uma direção que em busca do apoio incondicional em momentos difíceis fechou os olhos para alguns acontecimentos e poderia ter acalmado os ânimos! São lamentáveis o discurso de Renato Moreira à imprensa e as palavras de Paulo Odone dirigidas à Amorety! Apesar de condenar, consigo entender, não justificar, em minha cabeça as atitudes do pior baderneiro, mas não o ódio e as justificativas absurdas e hipócritas de Odone, que deve ter uma conduta de dirigente e de político, ao defender o que fizeram torcedores e ao imputar a culpa do Inter! Por esse motivo, acho que o Grêmio deve ser condenado!
Quanto aos incidentes no Paraguai dizem que o que foi estragado foi uma torneira que não funcionava no banheiro e detonaram-na, fogo em jornais e arrancados uma dúzia de assentos para bunda! Acho q isso deve contabilizar no maximo mil reais de prejuízo! O do último grenal foi de 187 mil! 187 vezes pior!
Quanto aos banheiros ecológicos ( atômico para Túlio Macedo), segundo Giovani Luigi, foi a própria direção do Grêmio que os requisitou!
Abraço
Henrique Comiran

Henrique Comiran disse...

os dois ultimos são meus! É que n sabia bem coloca meu nome aqui

André Kruse disse...

Ramiro,

Realmente não sei se as críticas devem ser feitas ao Inter ou as autoridades responsaveis pela fiscalização e segurança do estádio. Talvez tu tenhas razão.

Quanto a confusão da Camisa 12, minha critica é que naquela ocasião ninguem pediu punição ao inter, diferente do que é feito agora com o gremio. Na minha opinião em nenhuma dessas duas os clubes deveriam ser penalizados na esfera desportiva

O Grêmio ajudou a "denunciar" bem mais do que uma pessoa. um foi o sócio, talvez tu tenha feito confusão com esse dado.

Não sei exato o número de ingressos que deixaram de ser vendidos. Na época a imprensa falava em 2 mil. O próprio Giovanni Luigi admitiu o erro em 2 mil ingressos, nessa semana a direção do Grêmio falou em 5 mil ingressos. sinceramente não sei qual é a informação correta, mas havia espaço de sobra na torcida do gremio (apesar da procura ter sido maciça).

os banheiros "atômicos" nao entraram em fogo sozinhos, mas em eventos como o Grenal deve se evitar certos riscos.

André Kruse disse...

Henrique, colo aqui a mesma resposta que dei no blog do Bruno.

É obvio que sou parcial e passional, em nenhum momento nego isso, só que eu nao preciso ser imparcial, qualidade que todo jornalista deveria ter.

Ainda não sou especialista em direito, mas alguma coisa eu ja aprendi. O entendimento de que o Grêmio não deve ser punido não é só meu, como também do departamento jurídico do Grêmio e do Cacalo (que militou no direito desportivo). Tal posição não é absurda e encontra forte respaldo na lei.

Não relatei o Gre-nal de 2004 porque ja se passaram dois anos e o gremio foi punido na ocasião. Não relatei o Grenal do gauchão por que este fato sim foi amplamente divulgado pela imprensa. O jogo do figueirense eu relatei num Post anterior.

Concordo contigo quando tu diz que só se fará justiça quando se punir quem realmente fez a merda, mas não acho isso utópico.

André Kruse disse...

Algumas pessoas que ouviam ao rádio tinham acesso a essas informações. Acho que todas essas questões ajudam a explicar os motivos dos baderneiros, inclusive acho que alguns devem ter sim alguma espécie de inveja (o que não é o meu caso). Contudo todos esses motivos não suficientes e não justificam o ocorrido.

Não sei da dimensão do que aconteceu no Paraguai pelo simples fato do que isso não foi devidamente noticiado.

Acho sim descabida a declaração do Renato Moreira, mas as palavras dele foram distorcidas posteriormente.

Não sei o que o Odone falou ao Amoretty, imagino que seja tão lamentavel quanto as palavras do Fernando Carvalho em relação a torcida do Grêmio.

Essa história do banheiro "atômico" foi desmentida pelo diretor do gremio Luis Moreira. Ele participou da reunião com o Giovanni Luigi (e a BM) e afirmou categoricamente que a ideia e a decisão sobre os banheiros partiram do internacional.

bbporto disse...

Sobre o banheiro a idéia foi do Inter, o Grêmio não concordou e a BM vetou. O Inter mesmo assim colocou. Deveria ter autorização da BM e da Prefeitura, e não tinha. Não vou dar a fonte na internet, me procurem que eu digo.
Outra coisa, ou a parte destinada à torcida adversária é muito pior do que o resto do estádio, ou o Beira Rio não é nem de longe o estádio que colorados e imprensa tqanto elogiam. No Olimpico pelo menos, a torcida não sai num corredor escuro com o chao inundado de mijo. A torcida nao fica sem ter o que beber (e nao falo so de ceva, mas de refri, agua, agua da torneira, qualquer coisa bebível) durante todo o jogo e mais meia hora pós jogo. Já disse e repito que todos tiveram culpa, e acho ao contrário de vocês (Henrique e ramiro) que o tratamento dado pela direção do Inter, antes do jogo, ou seja, antes dos vandalismos, é o tratamento dado à animais. A torcida respondeu à altura do tartamento que recebeu.