quarta-feira, abril 25, 2007

Libertadores - Grêmio 1 x 0 Cerro Porteño


Com quase a mesma escalação do que enfrentou o Caxias, o Grêmio não repetiu a pressão e a movimentação contra o Cerro. Também não era necessário e nem era possível, visto que o Cerro é um time bem mais qualificado do que o Caxias. Contudo a vontade e a disposição foram as mesmas.

Apesar de o tricolor ter tomado a iniciativa foi do Cerro a primeira chance: um ótimo cruzamento vindo da direita, Saja cortou mal e Salcedo cabeceou para fora. Mas o time não se abalou e voltou a buscar o gol. Patrício era impossibilitado de avançar, Diego Souza aparecia como meia e a jogada mais constante do Grêmio era pelo lado esquerdo com Lúcio e Carlos Eduardo (este muito bem marcado). Movimentando a bola na intermediária o time tentava furar a retranca do Cerro. Tcheco aparecia pouco e Sandro insisita em lançamento pelo alto. Num desses lançamentos, Tuta dominou de costas e passou para Patrício, que chutou rasteiro uma bola que deveria ser chutada no alto. A pressão seguia. Falta na intermediária, Tcheco levantou na área e Teco fez de cabeça. o juiz anulou marcando impedimento inexistente. No final do primeiro tempo Tuta tabelou com
Tcheco mas bateu fraco pra defesa de Navarro.


No segundo tempo o Grêmio continuava trocando passes no campo de Cerro, mas as chances não apareciam tão claramente. Alguns chutes precipitados da intermediária e o time (assim como a torcida) começavam a diminuir o ritmo. Mano mexeu bem tirando Nunes e colocando Everton. Sua ousadia foi premiada, pois justamente Everton fez de cabeça o gol salvador, após falta cobrada por Sandro Goiano. Aí o jogo mudou de figura, o desepero foi pro lado do Cerro. foi até engraçado que depois do gol, o goleiro Navarro não reclamou mais da calibragem da bola. Mano corretamente recompôs a cabeça da área colocando Edmilson no lugar de Carlos Eduardo. O Grêmio tratou de administrar o resultado, Nisso se destacaram Sandro e Diego Souza.

De todos os jogadores em campo ontem apenas Tcheco não me agradou. Verdade que ele não foi tão mal assim, mas como capitão e referencia técnica ele precisava aparecer mais. Contudo ele tem crédito e precisa ser mantido, até porque não possui substituto.

Novamente não sei onde estão os críticos dos treinos "secretos" . Os dois gols de ontem surgiram de bolas paradas. jogadas, que segundo Sandro Goiano, foram ensaiadas a exaustão.

Independente do próximo adversário na libertadores penso que o Grêmio deve ir com time reserva contra o Juventude. Alguns jogadores, como o Tuta, estão visivelmente no limite. Um descanso viria bem a calhar para muitos atletas.

Apesar dos dois ótimos resultados acho que o Grêmio não pode contar sempre com a raça e a superação. É preciso que o time tenha uma rotina de boas atuações e um padrão de jogo, algo que não está muito distante.

GRÊMIO 1 X 0 CERRO PORTEÑO

Grêmio: Saja; Patrício, William, Teco e Lúcio; Nunes (Everton 64´), Sandro Goiano, Diego Souza e Tcheco (William Magrão 84´); Carlos Eduardo (Edmilson 75´) e Tuta.
Técnico: Mano Menezes

Cerro Porteño: Navarro; Rojas, Alvarez, Cabrera e Perez; Morinígo (Da Silva 72´), Britez (Cristaldo 84´), Edgar Gonzalez; Ramirez e Achucarro (Godoy 77´).
Técnico: Gustavo Costas

Data: 24/04/2007 (terça-feira) , 21h15min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 44.612 (40.620 pagantes)
Renda: R$ 947.630.
Árbitro: Sérgio Pezzotta (ARG)
Assistentes: Pablo Lunati (ARG) e Rodolfo Otero (ARG)
Gols: Everton (G) aos 24 minutos do segundo tempo.
Cartões Amarelos: Patrício, William, Tuta, Diego Souza (Grêmio); Achucarro, Perez, Navarro, Cabrera, Salcedo (Cerro Porteño).

3 comentários:

Alisson disse...

Boa!
Uma imagem fala mais que 1000 palavras, né?...

Abraço! E até domingo!

André Kruse disse...

Acho que tu fizestes o comentário entre a postagem das fotos e do texto.

Por mais que eu tente, minhas palavras nunca vão fazer frente as imagens.

Anônimo disse...

Acabei de descobrir porque o São Paulo queria tanto o primeiro lugar. =]