quarta-feira, março 25, 2009

Libertadores - Aurora 1 x 2 Grêmio


Com um minuto de jogo o Aurora assustou o Grêmio pela primeira e única vez no primeiro tempo. Paredes chutou para o gol após corte mal feito por Léo, mas a arbitragem, corretamente, anulou o gol por impedimento. Os bolivianos ainda tiveram alguns escanteios nos minutos iniciais ,mas depois disso só se viu uma equipe em campo. Quando o tricolor botou a bola no chão, chegou fácil a área do Aurora. Aos 6 Jonas chutou da entrada da área e acertou o travessão. Aos 9 foi a vez de Fábio Santos acerta a trave. Aos 19 Ruy fez boa jogada com Alex Mineiro, mas chutou para fora. A0s 21 Jonas saiu na cara do goleiro, mas chutou em cima de Dulcich.

Nos primeiros 25 minutos de jogo o Aurora confirmou tudo aquilo de ruim que se dizia sobre a equipe. Grêmio jogava com facilidade e já se lamentavam as chances perdidas quando Jonas fez bela tabela com Alex Mineiro e chutou forte na saída do goleiro. Gol do pior atacante do mundo e Grêmio em vantagem na ida para o vestiário.

No segundo tempo, Baldivieso alterou sua equipe e voltou a um esquema mais ofensivo. Porém, com um minuto foi Jonas que teve a chance de ampliar por duas vezes no mesmo lance. Aos 4, cruzamento na área do Grêmio, Victor saiu do gol e quase foi encoberto na cabeçada, mas o arqueiro gremista mostrou reflexo na defesa. Aos 6 Alex Mineiro teve chance claríssima, mas chutou rasteiro, em cima do goleiro. Aos 7 o tricolor estava em 3 contra 1 no ataque, Alex Mineiro foi displicente ao tentar a letra. Dulcich defendeu. Então ocorreu a jogada que Roth havia alertado. Ligação direta, balão do goleiro cai perto da área do Grêmio e Paredes só desviou de Victor. 1x1. Grêmio se abalou com o gol sofrido. Passou a aceitar provocações baratas dos bolivianos. O camisa 5 Mendez catimbou todos os lances que participou. Natural, era o que lhe restava fazer. Problema está em Grêmio, time que deveria querer jogar bola, aceitar este tipo de coisa. Não se sabe ao certo o que ocorreu aos 13 minutos, mas o bandeira alertou o árbitro e Jonas foi expulso.

Jogo ficou ruim para o Grêmio. Roth fez o correto, tirou Alex Mineiro e colocou Herrera para brigar sozinho na frente. Muito embora contasse com um ambiente favorável, o Aurora não ameaçou. O Grêmio teve duas chances com Réver. A primeira, aos 21, na arrancada desde a zaga que acabou em chute rasteiro. Aos 31 Souza cobrou escanteio, a bola passou por Dulcich mas Réver não acertou a cabeçada. Aos 41, falta para o Grêmio na intermediária, Tcheco bateu e Dulcih levou um frangaço. 2x1 que se manteve até o apito final.


Mais uma vez o Grêmio escapou do castigo. Contudo não concordo com essa de que o time teve "mais sorte do que juízo". Evidentemente que o segundo gol foi de uma infelicidade do goleiro, mas o empate não condizia com as produções das duas equipes.

Hoje, sem nenhum risco de soar precipitado, dá pra se dizer que o Grêmio tem um sério problema de conclusão. As jogadas se desenvolvem bem, as chances são criadas em bom número, mas o último toque é falho.

Tcheco teve uma atuação discretíssima. Contudo fez o gol decisivo.

Me parecem um tanto exageradas as críticas direcionadas a Alex Mineiro. Perdeu um gol é verdade, mas por duas vezes deixou Jonas na cara do goleiro. Inegavelmente é o atacante de maior talento no elenco.

Mais descabidas são as reclamações feitas à Celso Roth. Sua equipe produziu bastante e só foi ameaçada em um lance que o próprio alertou repetidamente antes da partida. Após a expulsão, fez o que tinha que fazer.

O Grêmio poderia e deveria ter ganho com maior facilidade. O Aurora é sim um time muito, mas muito ruim. Passado o susto, que fique fique a lição, já que o 3 pontos foram garantidos.

Fotos: ClicRBS e Terra

Aurora 1 x 2 Grêmio
Jonas 41´
Paredes 53´
Tcheco 86´

AURORA: Dulcich,
Leonforte, Edward Zenteno e Méndez; Escobar, ,Fernandez, Castellón (Rodríguez 36 do 2ºt), Edson Zenteno (López, intervalo), Cardozo (Sossa 34 do 2ºt) e Bongioanni; Paredes.
Técnico: Julio César Baldivieso

GRÊMIO: Victor, Léo, Réver e Rafael Marques; Ruy (Makelele 39 do 2ºt), Adílson (Thiego 43 do 2ºt), Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Alex Mineiro (Herrera 19 do 2ºt)
Técnico: Celso Roth

Libertadores 2009 - Grupo 7 - 3ª Rodada
Data: 25/03/2009, quarta-feira, 21h50min
Local: Estádio Félix Capriles, em Cochabamba (Bolívia)
Público: 11.059 pagantes
Renda: Bs. 283.555
,00
Árbitro: Juan Soto (Venezuela)
Auxiliares: Plácido Chuello (Venezuela) e Jorge Urrego (Venezuela)
Cartões amarelos: Paredes, Edward Zenteno e Cardozo (Aurora), Ruy e Adílson (Grêmio).
Cartão vermelho: Jonas (Grêmio) aos 13 do 2ºT.
Gols: Jonas, aos 41 minutos do primeiro tempo, e Paredes, aos oito, e Tcheco, aos 41 do segundo.


4 comentários:

Gustavo disse...

André, eu entendo que o Roth demorou muito para renovar o gás do time. Não vejo motivos para ter aguardado até os 39 do segundo tempo para colocar o Makelele (poderia ter sido no lugar do Tcheco, que também estava exausto). Também poderia ter tirado o Fábio Santos antes, para colocar o Jadilson, que costuma botar fogo no lado esquerdo.

Não é uma crítica contundente, mas o Roth (e o Grêmio) teve mais sorte que juízo. Se o gol salvador não tivesse acontecido, a casa vinha abaixo.

Quando o Ruy saiu, eu sei que ele estava machucado, mas parecia que estava atrasando de propósito, como se estivesse satisfeito. Aquilo muito me irritou e preocupou. Se um empate contra um time horrível como o Aurora serve, podemos dar adeus ao título.

Márcio C. M. disse...

Se dermos adeus ao título vai ser por causa da falta de qualidade do nosso ataque.

E Roth não entra em campo para fazer gols. Atribua a Roth o número de chances criadas.

Vicente Fonseca disse...

Aquela cera do Ruy também me irritou bastante. Porém, é preciso dizer que ela só ocorreu porque o time tinha um a menos, Gustavo. Acho que o Grêmio não entrou pensando que o empate era bom resultado, tanto que ficou transtornado quando levou o gol, porque esperava e queria a vitória. Mas concordo contigo, mesmo com um a menos não dá para se conformar com um empate contra o time mais fraco do grupo.

André Kruse disse...

Victor, assim como Ruy, fez cera e eu entendi, justamente por ter um a menos e jogar na altitude.

O Tcheco até merecia ter substituído. O problema eram os substitutos: Makelele era muito defensivo, Douglas Costa muito ofensivo.

Roth iria trocar F.Santos por Jadílson. Mudou a troca depois do gol.

Concordo que ele demorou a mudar. Mas na altitude é complicado, sempre tem que "guardar" uma substituição.

Problema foi que nas rádios pediam a saída de um zagueiro para a entrada do Maxi.Isso seria suícidio.