quarta-feira, março 21, 2007

Tcheco Mordido


"Sou mais criticado quando jogo mal do que elogiado quando jogo bem".

"Chamam o Nunes de brucutu e não dizem nada do Edinho (volante do Inter), que comete muitas faltas. E o Patrício? Contra o Caxias, fez passes para dois gols e marcou um e nem tocaram no nome dele. Quando tocam, é para criticar."

Repercutiu bastante as declarações do Tcheco. Muitos dos críticos retrucaram, dizendo que não é bem assim, que só estão cobrando mais de quem pode jogar mais. Há alguma verdade nisso, mas o fato é que os críticos estavam sim se passando ao falar das atuações do Tcheco.

Gostei quando o Mano discutiu publicamente com Wianey Carlet (que ousou o chamar de professor pardal, mas acabou levando nos dedos). Agora fiquei ainda mais feliz em ver o Tcheco se mostrando indignado com a cobertura da mídia, se defendo e defendo colegas. A comparação de Nunes com Edinho é válida sim. Edinho sempre foi tido como queridinho pela imprensa, alguns, como o reporter Andre Silva da Rádio Gaúcha, chegaram a pedir sua convoação pra seleção. Hoje qualquer coisa jogada violenta vinda desse jogador é tida como demonstração de raça. O mesmo está acontecendo com o colombiano Vargas . Já Nunes, que não comete mais faltas que a média dos volantes nacionais, mereceu uma reportagem chamando de Brucutu. Outro situação é que a imprensa constantemente diz que o gremio tem um problema nas laterais, não é bem assim. O gremio tem um problema na lateral esquerda, na direita até poderia ter um jogador mais qualificado, mas patrício está longe de ser um problema.

Tcheco faz muito bem em não aceitar críticas injustas e suas respostas são bem coerentes. Ainda assim, a melhor resposta que ele pode dar é dentro de campo. Não como ele fugir disso e não como eu fugir desse clichê.

2 comentários:

Impressoes disse...

Bom blog. Se tiveres oportunidade, vê o meu. Também é de futebol

Impressoes disse...

http://janeladecontraste.blogspot.com/