quarta-feira, novembro 28, 2007

Apresentação de propostas

Segundo o site do Grêmio:
"Em uma das mais concorridas reuniões dos últimos tempos e que entrou terça-feira adentro, os conselheiros gremistas ficaram conhecendo minuciosamente os dois projetos formalizados ao Clube para a construção da nova Arena tricolor."

Bom, muito bom saber que desta vez a reunião foi levada a sério, mesmo assim continuo achando que seria muito útil a divulgação da lista dos conselheiros presentes.

Ainda no site Grêmio:
"As duas propostas ficarão á disposição dos conselheiros até o próximo dia 12 para uma análise mais aprofundada"

Poderão os conselheiros divulgar detalhes dos projetos? Há algum termo ou clausúla de confidencialidade?

Na Zero Hora




28 de novembro de 2007 | N° 15432
Grêmio
Arena começa a ser definida
Empreiteira e consórcio apresentam detalhes do novo estádio

Até o dia 20 de dezembro, o Conselho Deliberativo apontará a melhor proposta para a construção da futura arena do Grêmio. Segunda-feira à noite, o consórcio TBZ-OAS e a empreiteira Norberto Odebrecht apresentaram seus projetos a 220 conselheiros. Houve leve tendência pela proposta da Odebrecht, que prevê a obra na zona norte da Capital, o que permitiria usar o Olímpico durante a construção. O consórcio TBZ-OAS, que sugere a arena na Azenha, como alternativa propõe construção de estádio de 15 mil lugares em Eldorado do Sul após implosão do Olímpico.

LUÍS HENRIQUE BENFICA


Desde o início desse processo, verifica-se essa predileção. Muitas vezes essa preferência não encontrava nenhuma justificativa, agora a opção pela Odebrecht já encontra argumentos mais fortes. Eu continuo tendo restrições quanto a mudança do Grêmio para a saída (ou entrada) de porto alegre. Contudo, ouvi de um conselheiro que a proposta da Odebrecht é muito melhor, que as possibilidades do estádio são bem maiores na zona norte.

Me parece também que, sabe se lá porquê, a proposta da construção em local novo sempre ganhou mais espaço na mídia e a construção no mesmo local nunca foi encarada com muita seriedade pela imprensa.

Ainda a Zero Hora faz um pequeno quadro com importantes esclarecimentos:

Um novo conceito
- As empreiteiras Norberto Odebrecht e o consórcio TBZ-OAS basearam seus projetos no conceito desenvolvido pela empresa Amsterdam Arena Advisory
- A capacidade é de 51 mil torcedores
- De 3 a 12 de dezembro, os projetos estarão à disposição dos conselheiros
- A arena terá quatro anéis, um somente de camarotes
- Todos os assentos serão cobertos
- Os dois projetos prevêem 5 mil vagas para estacionamento
- Mil vagas serão cobertas no subsolo
- Serão 700 banheiros e 400 bares
- Serão 20 mil metros quadrados de área comercial, sendo 2 mil metros quadrados reservados ao Grêmio
- Durante 20 anos, a empresa vencedora terá participação em receitas geradas pela arena, como bilheterias, eventos, aluguéis e comercialização do nome
- As receitas de publicidade estática, e publicidade em camisetas e cotas de TV permanecerão com o Grêmio
- Se a área escolhida for no bairro Humaitá, na zona norte da Capital, o terreno será adquirido pela empresa vencedora, mas será registrado em nome do Grêmio
- O consórcio TBZ-OAS, que prefere erguer a arena onde hoje é o Olímpico, estima o custo da obra em R$ 277 milhões e dois anos para conclusão
- A empreiteira Norberto Odebrecht, que apresenta projeto para construção no bairro Humaitá, calcula os custos em R$ 290 milhões e um prazo de três anos
- Segundo o consórcio TBZ-OAS, o complexo da arena, com shopping center, área comercial e centro de convenções, deve gerar renda anual de R$ 52 milhões. O consórcio propõe ficar com 35% do faturamento, repassando 65% ao Grêmio
- A Odebrecht prevê um faturamento de R$ 54 milhões. Propõe 47% para o Grêmio, ficando com 53%. Mas o clube irá propor outra forma de negociação deste percentual

2 comentários:

San Tell d'Euskadi disse...

Eu sempre fui a favor da mudança. Preferia ao lado da FIERGS, mas aceito o Humaitá. A Azenha já deu o que tinha que dar. Não há espaço para crescer, assim como não havia no Moinhos de Vento.

Um abraço.

Andre disse...

Construir um novo estádio já é furada.......agora colocar esse novo estádio no CÚ de Porto Alegre, é furada ao cubo.