terça-feira, outubro 30, 2007

Odone pensou em Renunciar

Já tinha tocado no tema aqui antes. Me parece legítimo numa democracia que os comandantes tenham a prerrogativa de renunciar. Não gosto muito quando se faz uso da ameaça de renúncia como chantagem, haja visto que a segunda vez que Odone acena com tal possibilidade.

Notícia do FinalSports:
Na tarde desta terça-feira o presidente do Grêmio, Paulo Odone, confirmou que chegou a cogitar a hipótese de deixar o comando do clube caso seu candidato à presidência do Conselho Deliberativo, Luiz Carlos Lopes Madeira (Chapa 1), não vencesse a eleição ocorrida nesta segunda-feira.

Com a confirmação do nome de Raul Régis de Freitas Lima (Chapa 3) em substituição a Mauro Knijnik, criou-se um ambiente de expectativa no estádio Olímpico sobre o futuro de Odone, que acabou confirmando sua permanência como homem forte do Tricolor até o fim de seu mandato.

Paulo Odone disse que foi procurado por Raul Régis e os dois conversaram a respeito dos ruídos ocasionados pela eleição sobre os problemas financeiros do clube e também sobre a questão da construção da nova arena que, conforme o presidente gremista, alguns conselheiros o teriam acusado de usá-la para lavagem de dinheiro.

O que parece ter incomodado Paulo Odone, foi uma manifestação do conselheio Roberto Sommer, agora eleito membro do Conselho Fiscal. No debate que ouvi no domingo na Rádio bandeirantes o candidato Madeira se queixou fortemente sobre tal afirmação à Raul Régis

A manifestação do conselheiro Sommer teria sido feita durante a campanha para a renovação do conselho, num debate promovido pela chapa 3. Tal debate foi tema de um post no blog Apito do Blackão. O post em questão levava o nome de "ARENA: SITUAÇÃO E MÍDIA NÃO EXPLICAM DIREITO O EMPREENDIMENTO " e não está mais disponível, transcrevo aqui trechos do post que envolviam o conselheiro Sommer e suas manifestações:


Ontem, quarta-feira 26/09/2007, na sede da Associação dos Delegados de Polícia do RS, pertinho do GRÊMIO FOOTBALL PORTO-ALEGRENSE, das 19:30h às 21:40h, houve debate da CHAPA3 - GRÊMIO IMORTAL E UNIDO.

O tema em pauta era a ARENA DO GRÊMIO. A mesa foi comandada pelo conselheiro e advogado Juliano Ferrer, com os debatedores Paulo Roberto Faria Ferrer (consultor em obras viárias, pai do presidente da
mesa), arquiteto e urbanista Jorge Decken Debiagi (um veterano profissional profundo conhecedor de Porto Alegre cujo trabalho é de renome nacional) e o consultor financeiro Roberto Sommer.

[...] O segundo debatedor, Roberto Sommer, disse que, quando o Grêmio estava abaixo do cu do cachorro (palavras minhas, não dele), ele procurou, na sua ampla e polpuda rede de contatos, alguma solução através de fundos de investimento para tentar encontrar alguma solução para a impagável dívida do clube. Isso foi lá pelos idos do final de 2004.

Nenhum de seus contatos em banco algum e em fundo de investimento algum (inclusive no exterior) deu crédito ao Grêmio.

A única POSSIBILIDADE encontrada (note bem: possibilidade não é sinônimo de solução) por ele foi propor a venda da área da Azenha para pagar dívidas e a construção de um novo estádio em outro lugar, bancado por investidores. E que, para o Grêmio não precisar pagar os credores com o dinheiro destinado à viabilização da parceria e demais custos, deveria abrir uma empresa "laranja". Tudo com base na lei.

MESES DEPOIS, JÁ EM 2005, SOMMER ENTREGOU A PROPOSTA IMPRESSA AO RECÉM ELEITO PRESIDENTE ODONE, QUE A IGNOROU!!

[...]O consultor Sommer então comentou que AS REUNIÕES DO CD DO GRÊMIO EM 1999/2000 SOBRE A PARCERIA COM A ISL TIVERAM EXATAMENTE O MESMO CARÁTER, ISTO É, DE FALTA DE INFORMAÇÃO E DE ATAS REDIGIDAS DEPOIS DA REUNIÃO!!!

Dada a falta de crédito e a insolubilidade da dívida tricolor, Sommer deu a entender que A ÚNICA POSSIBILIDADE DE ALGUÉM INVESTIR MAIS DE 500 MILHÕES DE REAIS NO GRÊMIO É COM DINHEIRO LAVADO!!!


O que teria incomodado o Presidente Odone foi essa parte onde se fala em lavagem de dinheiro. O próprio Sommer tratou de responder no blog, o autor colocou sua resposta em outro post, esse sim ainda disponível sob o título de ARENA: INFORMAÇÕES DO CONSELHEIRO SOMMER:

Gostaria que divulgasses três pequenas retificações ao que disse e está publicado de forma equivocada:

1) O que foi engavetado pelo presidente Paulo Odone foi o relatório final do “Planejamento Estratégico para o Grêmio Football Porto-Alegrense” e não uma proposta de negócio como escrito;

2) Quando me referi a “dinheiro lavado” ressaltava que, em situações de penúria financeira como a do Grêmio, só quem pudesse perder muito dinheiro (por ilícito) faria um investimento diretamente no clube e

3) Quando falava em inviabilidade de encontrar investidores, me referia ao modelo que foi apresentado para a “Grêmio Empreendimentos”, mas que havia outras formas de constituição onde, com certeza, existem inúmeros investidores propensos a participar.

Atenciosamente,
Roberto Sommer

3 comentários:

Gremista Vigilante disse...

Comment nada a ver: ontem foi o ÚLTIMO dia em que recebemos o 'Correio do Povo' aqui em casa.

Cancelamos a assinatura, não dava mais pra aguentar Hiltor Mombach, Juremir, apoio incondicional ao Lula, propaganda da Igreja Univbersal, etc.

André Kruse disse...

Hiltor mombach é muito, mas muito colorado. O fato de o Correio do povo só ter ele como colunista de esporte é paradigmático.

Juremir ora tenta imitar Diogo Mainardi, ora tenta imitar David Coimbra.

Anônimo disse...

Realmente aguentar Mombach e Juremir, ambos colorados é de doer..dá-lhe Grêmio...