quinta-feira, julho 03, 2008

Repercussões

Não gostei das repercussões sobre o clássico grenal 370, principalmente sobre a arbitragem.

De fato o Internacional jogou melhor o grenal, mas não foi essa diferença gritante que falam por aí. O co-irmão fez um gol cedo e tratou de garantir o resultado. Seus laterais não passaram do meio de campo. Quem teve que tomar a iniciativa do jogo sempre foi o tricolor. Vejam alguns números: Chutes a gol (Gre 9 x 6 Int), Cruzamentos ( Gre 15 x 8 Int). Escanteios (Gre 10 x 8 int).

Sobre a arbitragem. Kriger está proibido de falar pelo STJD. Rodrigo Caetano não costuma falar. Ainda não ouvi nada de Meira e Kuelle desde que assumiram. Já no lado vermelho todos falam, e a imprensa, aparentemente aceita tudo. Primeira a frase de Piffero, repetida por Luigi: "nunca vi marcarem um pênalti assim". Não é possível que nenhum reporter nao tenha alertado os dirigentes colorados sobre o lance de Sessa em Palácio em 2007. Ainda teve Silvio Silveira: "O diretor de futebol Sílvio Silveira irritou alguns repórteres ao perguntar: "Qual o único time do mundo que teve a seu favor 4 pênaltis marcados na sequência de dois jogos"

Temos o principal lance do jogo, e não adianta, não é erro técnico, não é imprudência, é agressão, como bem lembrou o pessoal do GremioImortal. O fato de Renan de ser bom moço, de boa família, ser atencioso com a imprensa, ser gaúcho, da categoria de base não muda nada. O pênalti e a expulsão foram justos.

O Gol do Nilmar. Esatava impedido. Incontestável. Não tem como negar ou omitir isso:
- Coloradão: Como sou coloradão da gema, omiti o impedimento de Nilmar no gol do Inter. Impedimento que muitos só flagraram depois do repeteco da TV, mas que eu, experiente, devo de percebido na hora e escondido o fato com a esperança de que os demais fossem fazer o mesmo. Imprensa colorada esta! (Hiltor Mombach, Correio do Povo, 1º/07/2008)

Por mais que Hiltor encha seu choro de ironias, não vai conseguir desfazer o erro do Correio do povo de segunda: Omitir a presença de Nilmar no lance: Vejam:

"Alex cobrou falta da esquerda, Marcão cabeceou, Victor salvou e, no rebote, Índio, de cabeça, mandou para a rede" (Correio do povo, segunda, 30/06/2008)

agora, comparem:

"Houve, no entanto, um equívoco do assistente Alessandro Álvaro Rocha de Mattos no gol do Internacional. Na hora em que o zagueiro Marcão cabeceia na área gremista, Nilmar está impedido. Depois da defesa do goleiro Victor, ele toca na bola, servindo Índio para marcar o gol" (Zero Hora, segunda, 30/06/2008)

"Alex cobrou falta pelo lado esquerdo, Marcão cabeceou, Victor deu rebote, Nilmar, que estava adiantado, desviou a bola. Índio cabeceou para as redes." (O Sul,
segunda, 30/06/2008)


Suposto pênalti em Nilmar: Inicialmente era pedido um pênalti de Pereira em Nilmar. Com o tempo, ao menos corrigiram o autor da infração. R.Mendes, que de fato puxa, de leve Nilmar, insuficiente para derrubar. O avante colorado não alcançaria a bola. E foi puxado para frente, e se jogou para trás.
(Vejam o vídeo, com 6 minutos e 5 segundos)

O árbitro parou o jogo em duas vezes, reclamando de agarra-agarra nas áreas. Estranho falar só nesse lance. Poderiam ter falado de um escanteio no segundo tempo, quando o Rever foi deslocado ao cabecear e boa parte do estádio reclamou. Ou de uma cabeçada do Marcel que bateu no Sorondo e os reservas do gremio, que estavam atrás do gol, reclamaram do toque de mão. Enfim, era só selecionar um lance e repeti-lo à exaustão em câmera lenta, por diversos ângulos.


Por falar nisso, estranhamente, há um lance que não foi repetido diversas vezes: Gol Anulado de Perea.

"Alguns dos blogueiros me chamam a atenção, por exemplo, para a possibilidade de que o gol de Perea tenha sido mal anulado. Dizem que o último cabeceio antes da conclusão do colombiano parte do zagueiro do Inter e não de Marcel. Neste caso, o impedimento teria sido mal marcado, pois a bola vinda do defensor colorado daria condição normal a Perea. Nesta terça-feira, vou-me deter no lance e colocá-lo no TVCOM Esportes." (Blog TVCOM Esportes.)

Não vi o TVCOM esportes. Também não achei vídeo desse lance, contudo:

"Confesso que só fui perceber após rever a imagem. E, realmente foi Sorondo quem colocou a cabeça na bola, direcionando-a a Perea, circunstância que afastaria o impedimento." (Cacalo, Diário Gaúcho, 02/07/2008)


11 comentários:

alisson disse...

Imprensa vermelha isenta é isso aí...
Na real, de novo, eles não entendem como o favorito deles não está na frente o IMORTAL. Aí, criam fatos e notícias para tentar justificar. Ainda tem a palhaçada maior. Vai lá no blog do ZINI (que cara amargo!). Ele diz que o que fica do GREnal é que eles tem um belo resto de campeonato pela frente, já o IMORTAL tem que se preocupar, já que foi dominado no jogo...

Mas a gente já tá acostumado com isso, não?

Gabriel disse...

Eu também fiquei com a sensação que o Sorondo cabeceou a bola, e não o Marcel.

O futebol Brasileiro está muito chato, tudo é penalty, qualquer puxão de camisa é penalty, geralmente, não marcado. Isso é culpa da imprensa que passa presão para os arbitros nos programas de debates. O lance do Marcel contra o Atletico-PR e do Nilmar no Grenal não deveriam ser considerados penaltys, mas chegamos a um ponto que um puxão qualquer na area é penalty.

Sobre o Inter, ele jogou exatamente como o Grêmio jogou os ultimos 4 clássicos contra o Internacional, nos contra-ataque e aproveitou os espaços. Enquanto o Grêmio teve dificuldades para criar.

Tinho disse...

Concordo com grande parte do texto. Nilmar completamente impedido, e não sofreu pênalti nenhum e tudo mais. Agora, também vamos tentar ser um pouco imparciais. Mesmo que seja o Sorondo quem tenha cabeceado no gol do Perea, seria impedimento de qualquer jeito. Explico: voltemos aí 1 ano e pouco no tempo. Pros que defendem o gol do Perea, teriam que defender a final da libertadores entre Santos e Boca. O Santos fez 4 gols na Vila, um deles, o primeiro, foi contra do Grêmio, mas bem anulado pelo impedimento, afinal, o atacante do Santos travava disputa de bola com o zagueiro. Não lembro quem eram os participantes do lance. Se não houvesse essa pressão do atacante, o defensor não ia tomar um ato de desespero pra afastar a bola e fazer gol contra sem querer. Se o Marcel não estivesse na disputa da bola, Sorondo não ia tentar "tirar de qualquer jeito" jogando a bola pra trás.

Na verdade, os colorados estão inconformados porque, mesmo jogando essa partida melhor, não saíram com a vitória, por culpa do Renan-Faixa-Preta. E também estavam na ânsia da vitória porque não se conformam que o "grande campeão do Petróleo, em cima da Inter de Milão (que tira o mestre Ibra, desinteressado, pra botar o Pelé, um volante, jogar) e o 8x1 contra o poderoso Juventude (me disseram que esse 8x1 era pro Grêmio, na verdade. Será?) fez esse fiasco todo na Copa do Brasil e faz no Brasileirão. E não admitem que estejamos anos-luz (ou talvez só meses-luz mesmo, eheheh) à frente no campeonato.

Resumindo: tivemos dois gols no Grenal, um deles irregular.

Tinho disse...

Curioso que no meu círculo de amizades, e discussões sobre futebol, os colorados subitamente mudaram o foco da reclamação:

-Pênalti inexistente, Inter 1x0.
-Foi pênalti correto. E outra coisa, Nilmar tava impedido. Olha só o vídeo.
-Ih, pior que tava mesmo......... é, mas teve aquele pênalti não marcado no Nilmar.

esses colorados, vô te contá.

Gremioacimadetudo disse...

Caro amigo:
No blog do http://gremio1903.wordpress.com/ tem uma foto genial sobre o lance de impedimento do Vi..digo Nilmar.

Gremista Vigilante disse...

Abrindo os debates sobre a saída do Roger: dá pra armar um time legal no 4-5-1 a partir de agosto, no velho estilo Mano Menezes):

Victor

Felipe Mattioni
Léo
Pereira
Helder

W.Magrão
R.Carioca
Tcheco
Souza
Rodrigo Mendes

Perea

De qualquer forma, acho que vem mais gente para completar esse time, até pelo susto que a direção tomou.

André, o que acha dessa escalação?

Gabriel disse...

Eu acho que o Fabio Rochemback não foi descartado pela diretoria. Teriamos um meio campo forte com Magrão, Carioca, Fabio, Tcheco e Souza.

O problema é o mês de Julho, a diretoria não tem mais desculpa, tem que colocar o Tcheco com a liminar ou apostar nas categorias de base.

gremioimortal disse...

André:
Mais uma vez parabéns. Só tu descreveste corretamente o lance Pereira (nãO) RMendes/ Nilmar no que esse se joga pra trás.
Também tive, em todas as repetições a nítica impressão, de que foi o zagueiro do Inter que cabeceou a bola do gol do Perea.
Sempre que o lance favoreceria o Grêmio os "isentos" misturam a "dificuldade" do lance com a "realidade" do lance.
Difícil ou fácil o lance, isso só vale para a avaliação da arbitragem.
Para a avaliação do jogo, não interesse se o lance foi fácil ou difícil. O prejuízo é o mesmo, fácil ou difícil o lance.
Em futebol, não interessa quem joga melhor. Interessam duas coisas: no final, o resultado - antes disso quem efetivamente teria ganho, não fossem os erros da arbitragem. No Gre-Nal, quem teria ganho, sem dúvida, teria sido o Grêmio.
Obrigado pela menção ao gremioimortal.blogspot.com

André Kruse disse...

Tinho a comparação que tu faz é indevida.

O Sorondo tentou tirar a bola do Marcel, que nao estava impedido. No jogo do santos, tentou-se cortar uma bola quer iria para um jogador em impedimento

Tinho disse...

André, realmente, durante o jogo eu argumentei isso com o pessoal com o qual eu assistia junto. Mas depois que eu postei ali eu fiquei na dúvida. Na real a regra fala em tirar vantagem da posição em impedimento, né? Coisa que o Marcel não faz. E se é o Sorondo quem cabeceia o Perea não tá impedido. Para efeito de comparação, esse lance taria mais pro primeiro gol do Inter contra o Al Ahly, talvez, em 2006. Te lembra que o zagueiro toca pra trás e o Pato taria impedido, se não fosse, claro, toque do zagueiro.

Foi mal aí. E parabéns pelo blog. Acompanho ele desde a reta final do brasileiro de 2006. Sempre com informações úteis, principalmente as "históricas" (como o suposto canetaço da subida em 92). Falou.

André disse...

Tinho,
o gol do pato estava impedido, o zagueiro divide com o Alex, a bola tocando no alex deixa o pato em impedimento