sábado, agosto 02, 2008

Eleições 2008

Estava demorando, mas ao que tudo indica, mesmo que timidamente, começou o "processo eleitoral" no Grêmio:



"Política
Apenas os grupos Grêmio Novo e Grêmio Independente assinaram na terça-feira a proposta de reforma estatutária reduzindo de 30% para 20% os votos para que uma chapa alcance o segundo turno na eleição de outubro. Homero Bellini, do Independente, confirma a chapa conjunta. O nome do candidato ainda não está definido." (Zero Hora, 31 de Julho de 2008)


Estatuto I
Evandro Krebs: “Foi noticiado na tua coluna que vários movimentos do Grêmio protocolaram requerimento de alteração estatutária. Na verdade, o documento foi encaminhado tão-somente pelo Grêmio Novo e Grêmio Independente.Os demais movimentos citados, em especial, o Grêmio Sempre,Núcleo das Mulheres Gremistas e Grêmio Menino Deus, não se posicionaram. O momento talvez seja inoportuno, em função de outras prioridades de discussões, o que não significa que estejam contrários ao projeto. Grêmio Imortal,Grêmio Unido, Grêmio Sempre,Grêmio Menino Deus, Grêmio Acima de Tudo e Núcleo das Mulheres Gremistas ratificam proposta de luta pela pacificação do clubes”.

Estatuto II
Jorge Bastos informa que “o Grêmio Sempre (movimento do Preis, Irany, etc.) e o Menino Deus não quiseram assinar o requerimento de alteração estatutária de 30% para 20%” e ainda “que foi fechado o acordo entre os movimentos Grêmio Novo e Grêmio Independente para lançamento de uma chapa conjunta com vistas às eleições para presidente do Grêmio em outubro. Sendo assim, tanto MGN como MGI assumem publicamente o compromisso de não participar de composição de chapão
(candidatura única). Esta é a maneira que percebemos como vital para consolidar a democratização no clube”. Feita a correção. Teremos então dois candidatos à sucessão de Paulo Odone. (Hiltor Mombach, Correio do Povo, 31 de julho de 2008)



Sem entrar no mérito sobre o momento, o requerimento protocolado é elogiável.

Mesmo com o mínimo de 20% proposto eu considero elevado no caso da eleição presidencial.

Já para eleição do conselho, ainda não encontrei razões que justificassem a existência de uma cláusula de barreira, ainda mais uma de 30%.

15 comentários:

Jeremias disse...

Que é elogiável é, o problema é o oportunismo>
Porque eles(MGN e GI) não apresentaram a mesma proposta quando Odono foi eleito no segundo mandato.
Mais não se pode mudar as regras do jogo em cima do jogo(isso é virada de mesa).
E porque eles (MGN) não explicam o entrelaçamento com GI, que são quase todos figuras carimbadas da gestão mais desastrosa do Grêmio em termos de finanças. Ou alguém pode esquecer o caso ISL?

Gremista Vigilante disse...

Beleza André, pensamos igual sobre a "cláusula de barreira". Já tivemos aqui um debate bacana sobre isso no ano passado.

Jeremias: segundo informações da secretaria do CD, esse requerimento de redução de percentuais já havia sido apresentado na época do Dr. Mauro Knijnik, sendo assinado por vários que agora assinaram novamente. Não vejo oportunismo.

Só para concluir: não simpatizo muito com o Odone, mas chamá-lo de ODONO parece-me de um sectarismo demente, incompatível com a grandeza do Tricolor.

Saudações tricolores,

GV.

Jorge Eustáquio disse...

Leia o www.blogdacornetaprogremio.blogspot.com,
Tem muita informação.
Com respeito tanto ao Jeremias quanto ao GV. Mas mudar a regra do jogo a 2 meses da eleição, por favor.
Mudar pra que. esses dois movimentos não tem nenhuma condição moral e técnica para dirigir o Grêmio

José Silva disse...

Só o Preis mesmo é que aceita uma coisa dessas.
Com eleição ganha facilmente no Conselho Deliberativo e com condições para remeter a eleição direta somente para a eleição seguinte, ele não fez nada disso e aceitou perder a eleição no segundo turno.
Não me parece que os grupos políticos do Grêmio estejam dispostos a ser tão "democráticos" como foi o Preis na ocasião.

André Kruse disse...

Jeremias e Jorge,

Esses movimentos já levantam essa bandeira há um bom tempo.

Jeremias disse...

Tudo bem André. Não sou contra a alteração do percentual para o conselho. Mas a outra alteração nas vésperas da eleição. Tenha a santa paciência

Jeremias disse...

Tem mais. Insisto nisso. Quando eles estavam na chapa da reeleição do Odone, ficaram quietinhos. Bem quietinhos. Aí o "chapão" era bom. É dessas incoerências que não gosto. Isso é o pelo menos cheira a oportunismo inaceitável.
Com todo respeito.
Parbéns pelos teus blogs.

Jeremias disse...

André
A gente vai lembrando as coias. A turma do GI é a turma que estava no poder na gestão Guerreiro. Pergunta: enquanto estavam no poder. alguma vez falaram em eleição direta ou em eleição proporcional. Não eram "democráticos" então e se tornaram depois? Devagar com o andor que o santo é de barro, diz o ditado popular.

San Tell d'Euskadi disse...

Não, não. Estão a mexer na cláusula errada. A de 30% no Conselho, para presidente, está excelente! Peguem o exemplo do clube do vizinho, lá é 20%, mas apenas dois passam para a eleição direta. No nosso caso, é 30%, mas até 3 podem ir para a eleição dos sócios!

O problema real e efetivo está na barreira de 30% na eleição para o Conselho. E essa, eles não quiseram mexer! Essa tinha que cair até para 15% ou 10%...

André Kruse disse...

http://www.athcsm.com.br/gremionovo/principal/ShowEXEMPLAR.asp?var_chavereg=227

Sancho, a dimuição do percentual serve para as duas eleições:

"b) Redução do coeficiente de votos válidos para que uma chapa possa estar representada no Conselho Deliberativo dos atuais 30% para 20%."

gremista vigilante disse...

Jorge Eustáquio disse...

(...)
Mudar pra que. esses dois movimentos não tem nenhuma condição moral e técnica para dirigir o Grêmio

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Prezado Jorge.

Se há algo em que acredito é que TODOS [repito: TODOS] os grupos políticos do Grêmio dispõem de pessoas altamente qualificadas e bem-intencionadas. Negar isso seria de um partidarismo inaceitável.

Uma coisa que aprendi nestes anos todos é desconfiar de um único tipo de gente: os FRACASSADOS.

Pessoas que não obtiveram sucesso em sua vida pessoal e profissional e querem "compensar" isso na política interna de um clube.

Não sei quem será o próximo Presidente do Tricolor. Só quero que seja uma pessoa BEM-SUCEDIDA e VITORIOSA nas diversas facetas de sua vida pessoal e profissional.

Saudações tricolores,

GV.
[imortalgremio@yahoo.com].

Jorge Eustáquio disse...

Relendo o que escrevi, percebi que me expressei mal. Quando a gente se expressa mal, melhor retirar do que ficar dando explicação.
Então, peço licença para retirar a expressão destacada pelo Gremista Vigilante. Toda a frase. Quis fazer uma crítica política e ela saiu de um jeito que foi interpretada com sentido diferente do que eu queria dar.
A crítica é só política. Nada contra a moral dos integrantes dos citados movimentos.

gremista vigilante disse...

Beleza então, Jorge Eustáquio.

Se retirarmos essa crítica moral, até vou concordar contigo: por mais que eu ache esses movimentos simpáticos (especialmente o MGN), vão ter de comer muito feijão para terem viabilidade eleitoral.

Penso que RAUL RÉGIS talvez seja o nome certo para essa eleição. É ponderado, tem história no clube e é um vencedor.

Saudações tricolores,

GV.

Anônimo disse...

SÓCIO GREMISTA: por uma maior valorização dos sócios, apóie a redução do percentual de 30% para 20% de votos necessários nas eleições presidenciais e do Conselho para que uma chapa passe do 1º turno - onde as as eleições ocorrem apenas no Conselho - para o 2º turno, onde os SÓCIOS do clube decidem quem será eleito Presidente do Imortal. Por um Grêmio PARA e PELOS SÓCIOS, assine em - http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/1178

Anônimo disse...

SÓCIO GREMISTA: por uma maior valorização dos sócios, apóie a redução do percentual de 30% para 20% de votos necessários nas eleições presidenciais e do Conselho para que uma chapa passe do 1º turno - onde as as eleições ocorrem apenas no Conselho - para o 2º turno, onde os SÓCIOS do clube decidem quem será eleito Presidente do Imortal. Por um Grêmio PARA e PELOS SÓCIOS, assine em - http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/1178