domingo, setembro 14, 2008

Brasileirão - Grêmio 1 x 2 Goiás


Jogo começou no lusco-fusco do final de inverno porto alegrense. Grêmio no 3-5-2 (Dois meias). Goiás no 3-6-1.

Os esmeraldinos se posicionaram atrás, deixando Iarley e Paulo Baier livres para o contra-ataque. o Grêmio, embora não muito inspirado, conseguia ir para cima, mas não criava muitas chances. O Goiás também não levava perigo a meta de Victor. Aos 30, Paulo Sérgio cobrou bem a falta pela direita, Léo, de voadora (não há outra palavra para descrever o movimento) completou para as redes. O gol deu a idéia de que o o jogo transcorreria tranquilamente até o seu encerramento, e foi o que aconteceu até o final do primeiro tempo.


Já início do segundo tempo o lance que mudou o jogo. Escanteio para o Goías, gol olímpico de Paulo Baier. Me parece bem claro que um gol desse só ocorre com falhas defensivas. A de Victor é inegável. Marcel também contribuiu, era sua função cortar a bola que entrasse "baixa" no primeiro pau. O jogador do Goiás que passou pela bola sem a tocar também ajudou.

Somado ao gol, o Grêmio ainda teve o revés da saída de Tcheco aos 7 minutos. Orteman até que entrou bem, mas ainda não dá a mesma contribuição do que o capitão gremista. Mesmo tendo acusado o golpe o Grêmio foi para cima, criou algumas opurtunidades. Como no lançamento de Orteman que Hélder chutou fraco. Ou na cabeçada de Marcel, dada em cima de Harlei que espalmou, na sobra Reinaldo emendou um voleio, que saiu fraco para defesa do goleiro. Reinaldo também teve boa chance de cabeça, mas a bola foi muito para baixo e facilitou o trabalho de Harley.


Aos 30, Souza, no chão, pede falta em um suposto cotovelaço dado por Victor (falo em suposto pois não consegui ver o lance na TV), o Juiz não marca e nem para o jogo. O Goiás não coloca a bola para fora. O Grêmio dá uma Rateada na marcação, o Goiás fica um bom tempo com a bola e consegue adentrar na área tricolor, onde Victor chuta para vencer o seu xará e estabelecer o placar final.


Rafael Carioca fez uma partida quase irrepreensível. Quase, porque no final tentou resolver tudo sozinho.

Léo sofreu com Iarley.

Souza novamente não fez boa partida. Para mim é o 12º jogador. Titulares são Carioca, Magrão e Tcheco.

Continuo preferindo Anderson Pico a Helder.

Reinaldo e Marcel não tiveram más atuações. Mas não formam uma dupla. Muito embora não seja um centroavante-centroavante, Reinaldo tem que ser o último jogador do ataque.

Fiquei com alguma esperança quando ouvi que o juiz era um nome novo, aspirante a Fifa. Logo que entrou em campo, mau sinal, carequinha "A la Heber", Em campo, muitas faltinhas marcadas, e poucos cartões dados (a maioria deles no final, para constar na súmula e ao mesmo tempo não se complicar). Iarley fez uma sequencia de faltas no primeiro tempo, mas só levou cartão, por reclamação, no final do jogo. Ainda tem o lance da origem do segundo gol do Goiás.

A propósito deste gol e do Fair Play. O Grêmio poderia pensar em adotar medida semelhante a do Porto "Os jogadores do FC Porto não voltarão a colocar a bola fora do relvado para forçar a paragem do jogo e permitir que os jogadores adversários sejam assistidos. Da mesma forma, não vão esperar tratamento diferente" (Apito de Lata, outubro de 2007)


Grêmio 1 x 2 Goiás
Léo 30´
Paulo Baier 48´
Victor 75´

GRÊMIO: Victor; Leo, Pereira (Amaral, 18'/2ºT) e Réver; Paulo Sérgio, Rafael Carioca, Tcheco (Orteman, 7'/2ºT), Souza e Hélder; Reinaldo (Soares, 27'/2ºT) e Marcel.
Técnico: Celso Roth.

GOIÁS: Harlei; Ernando, Rafael Marques, Henrique; Vítor, Fahel, Júlio César (Adriano Gabiru, 42'/2ºT), Paulo Baier (Fernando, 32'/2ºT), Ramalho e Thiago Feltri; Iarley.
Técnico: Hélio dos Anjos

25ª Rodada - Campeonato Brasileiro 2008
Data: 13 de setembro de 2008, Sábado, 18h20min
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre (RS)
Público Total: 36.493 (33.443 pagantes)
Renda: R$591.754,75
Árbitro: Célio Amorim (SC)
Auxiliares: Claudemir Mafessoni (SC) e Luis Alberto Kallenberger (SC)
Cartões amarelos: Reinaldo, Souza (Grê); Fahel, Thiago Feltri. Rafael Marques e Iarley(Goiás)
Gols: Leo, 30'/1ºT ; Paulo Baier, 3'/2ºT e Vítor, 30'/2ºT

6 comentários:

Gustavo disse...

Muita tristeza, a inevitável sensação de que o título pode estar escapando das mãos. Espero que a derrota em casa seja suficiente para "acordar" os jogadores.

Anônimo disse...

Axo q a baixa de produção da euqipe no segundo turno passa diretamente pelas alas. Nosso melhor momento foi quando o Pico entroou na equipe e estava rendendo muito bem, o P. Sergio tb esteve numa fase muito boa da metade do segundo turno em diante. Com a queda deles a equipe caiu tb, perdeu a jogada forte pelos lados. O 3-5-2 é justamente para aproveitar melhor o avanço do alas.

Anônimo disse...

Axo q a baixa de produção da euqipe no segundo turno passa diretamente pelas alas. Nosso melhor momento foi quando o Pico entroou na equipe e estava rendendo muito bem, o P. Sergio tb esteve numa fase muito boa da metade do segundo turno em diante. Com a queda deles a equipe caiu tb, perdeu a jogada forte pelos lados. O 3-5-2 é justamente para aproveitar melhor o avanço do alas.

Vicente Fonseca disse...

Acho essa de fair-play uma grande bobagem. O juiz que pare o jogo se avaliar que o atleta caído está realmente lesionado. Bem faz o Grêmio em parar de fazer isso.

André Kruse disse...

Gustavo, fiquei com uma sensação ruim também, lembrando muito aquele jogo contra o figueirense no ano passado. (mas agora ainda faltam 13 rodadas e estamos na frente)

Anonimo, perfeita tua analise sobre os alas. Concordo integralmente.

Vicente, tens razão. Mas imagina se é o Grêmio que faz um gol quando o adversário esperava uma atitude de fair play do adversário

Vicente Fonseca disse...

Ah, isso é verdade. Se o Grêmio já NÃO PODE COMETER FALTAS, imagina "se aproveitar" de uma suposta lesão e marcar um gol?

E bem lembrado, me trouxe à memória o jogo com o Figueirense. Mas ainda estou confiante no título. Não me esqueço que o maravilhoso Palmeiras foi goleado pelo Sport em casa há 10 dias.