sexta-feira, novembro 28, 2008

13 anos - Mundial 1995



13 anos hoje. A maior tristeza "futebolística" da minha vida.

Lembro claramente de vários detalhes da véspera e do dia jogo. Também tenho vivo na mente vários lances do jogo.

Tenho o DVD desse jogo em casa. Tentei assistir uma vez, não consegui passar das escalações. Me de conta que seria "masoquismo".

Ainda é dolorido demais lembrar de gols perdidos. Do capricho da trave no Pênalti de Arce. Da expulsão do Rivarola.

Confesso que sequer estes melhores momentos colocados aí em cima eu consegui assistir.


AJAX:Van der Sar; Reiziger, Frank de Boer, Blind e Bogarde; Ronald de Boer, Davids e Litmanen (Reuser 4 do 1ºt da prorrogação); Finidi, Kluivert e Overmars (Kanu 22 do 2ºt)
Técnico: Louis Van Gaal

GRÊMIO: Danrlei; Arce, Rivarola, Adílson e Roger; Dinho, Luís Carlos Goiano, Arílson (Luciano 16 do 2ºt) e Carlos Miguel (Gélson 7 do 1ºt da prorrogação); Paulo Nunes e Jardel (Magno 33 do 2ºt)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Data: 28/11/1995, Terça-feira, 20h10 (Japão) - 08h10 (Brasil)
Local: Estádio Nacional - Tóquio, Japão
Público: 47,129
Juiz: David Ellery (ING)
Auxiliares: Jeon Woung (JAP)e Hiroshima Yoahikazu (JAP)
Cartão Amarelo: Arce, Goiano, Gelson e Arílson (GRE,Davids e Kanu (AJX)
Cartão Vermelho: Rivarola
Pênaltis: Ajax - R. de Boer, F. de Boer, Finidi e Blind (Kluivert perdeu)
Grêmio - Magno, Gelson e Adílson (Arce e Dinho perderam)

8 comentários:

Vicente Fonseca disse...

Bah, André, não precisava tornar nossa sexta mais tristonha.

Brincadeira.

Impressionante como cada vez que eu olho esses melhores momentos torço desesperadamente pra que cada uma daquelas oportunidades perdidas entrem: a do Arílson, do Paulo Nunes, as duas do Jardel, os pênaltis do Dinho e do Arce. Aquele baita time não merecia ter perdido.

Mas roguei minha praga no Ajax desde então, e ele só se fode. O Criciúma também, depois de 1991.

Questão disse...

É verdade amigo, hoje faz 13 anos, parece que foi ontem.

Que time, que elenco, que técnico. Uma VERDADEIRA decisão de mundial, com lances para os dois lados....e não um ÚNICO lance de ataque contando com um erro do adversário.

Lá se vão 13 anos daquele extraordinário esquadrão, a equipe que NINGUÉM CONSEGUIU PARAR.....a não ser o Ajax (seleção da Holanda), a trave, os gols perdidos, e o juiz.

Com 10 homens numa final de mundial, paramos APENAS nos penaltis, contra o time "dito" o melhor daquele ano.

Mais emocionante do que ver o nosso querido Grêmio novamente em Tóquio, foi a recepção em Porto Alegre na volta dos "derrotados".

Pois a torcida entendeu muito bem, que não faltou luta, garra e determinação....e ao contrário de alguns "campeões", não faltou futebol também.

Lembro-me muito bem como se fosse hoje. Dinho SEM PALAVRAS para expressar o que era tudo aquilo: "....cara, nós perdemos, e olha isso....", com uma expressão de quem fosse chorar.

Parabéns Grêmio, parabéns ao esquadrão comandados novamente por Fábio André Koff, por vender caro aquela derrota, nos orgulhamos muito de ti, amado Grêmio.

Manfredo disse...

André:
Quem marcou os gols do Grêmio na vitória de 2 x 0 contra o Ajax em 1986, Torneio do Rei, em Casablanca, Marrocos?
Qual era o time do Ajax. Só lembro que era treinado pelo Kruyff. Jagavam o Van Basten e parece que o Rijkaard. O time do Grêmio tem no arquivogremista, mas não tem os resultados nem os goleadores.
Obrigado

San Tell d'Euskadi disse...

Falando sério, me doeu bem mais a derrota na Copa do Brasil para o Corinthians...

Perder o Mundial para o Ajax, com um a menos e nos pênaltis, para mim, foi tranqüilo.

Kbecinha disse...

Bah, três partidas que eu não consigo rever: essa final contra o Ajax, os dois jogos finais contra o Boca. Minhas maiores decepções no futebol, junto com o Brasileiro desse ano.

Francisco disse...

também foi até hoje o dia mais triste da minha vida.

Vanessa Duranti disse...

Até hj eu não assisti a essa partida eu tentei várias vezes tomar coragem p ver como foi o jogo, os gols perdidos e os penaltys, mas confesso q não consigo e acredito q nunca vou conseguir.

Vanessa Duranti disse...

Mas pelo menos perdemos com dignidade, nos penaltys para um time da Holanda cujo os principais jogadores formavam a base da seleção holandesa.