domingo, novembro 30, 2008

Brasileirão - Ipatinga 1 x 4 Grêmio

Jogo em ritmo de treino (ou em pelada de final de ano). Grêmio formou com Léo, Pereira e Jean na zaga e Souza na ala-esquerda.

Tricolor começou bem, indo para cima do adversário, mas foi surpreendido aos 5 minutos, contra-ataque pela direita, cruzamento rasteiro não foi cortado no primeiro pau e Escobar acabou empurrando para as redes (um gol que o Grêmio já havia tomado no campeonato). Time assimilou rápido o golpe e voltou a carga. Aos 12 Jean fez o "overlaping" pela ponta esquerda, foi a linha de fundo e cruzou para a cabeçada de Marcel, que empatou o jogo. Minutos mais tarde Mattioni mandou um foguete do bico da área, Fred fez a defesa. Aos 23 falta para Grêmio, Tcheco jogou pra dentro da área, bola foi devolvida, Souza centrou-a novamente e Jean antecipou o goleiro e virou o jogo. Aos 28 a zaga do Ipatinga sai jogando errado e o Grêmio rouba a bola, Willian Magrão serve Marcel, que toca na saída de Fred. Jogo seguia aberto, Grêmio um tanto faceiro. Marcel machucou-se e Roth colocou Helder em campo, reforçando o meio-campo. Ipatinga tentou reagir, num bom chute para boa defesa de Victor, e em cruzamento no qual Ferreira subiu sozinho de cabeça.

Volta do intervalo e o jogo durou tão somente até os 8 minutos. Bola cruzada na área, Jean escorou e Léo completou em cima da linha, determinado placar final de 4x1.


Lance curioso nos minutos iniciais do jogo. Felipe Mattioni sofreu falta muito próximo da grande área. Para mim Felipe sofreu a falta fora da área e caiu dentro, logo entendo correta a marcação do árbitro.

Mas não esta aí a curiosidade. Está cobrança:

O árbitro colocou a bola no lugar e Tcheco procedeu a cobrança rápida. Evandro Rogério Roman mandou voltar o lance. Muitíssimo parecido com o 2º gol colorado no Grenal do 2ºturno, apitado pelo mesmo Roman.



Grêmio sempre proporciona forte emoções aos seus adeptos. A agonia da busca pelo título ira durar até a última rodada.

Alegria efêmera?: Ver desmontada a festa do título que seria promovida pela imprensa Paulista. Também foi legal ver desmarcado o velório que estava sendo montado pela imprensa gaúcha.

Espero ficar sabendo de boatos sobre um caminhão de dinheiro tomando o rumo do planalto central.

Libertadores 2009 (pela porta da frente): Estamos lá.


Fotos: ClicRBS, Ipatinga Superesportes e Terra

Ipatinga 1 x 4 Grêmio
Pablo Escobar 5´
Marcel 12´
Jean 23´
Marcel 28´
Léo 53´

IPATINGA: Fernando; Patrick, Sílvio e Léo Oliveira; Afonso, Recife, Paulinho Dias, Pablo (Luis Fernando 35'/2°T) e Beto (Anderson, intervalo); Adeílson e Ferreira (Muller 14'/2°T)
Técnico: Enderson Moreira



GRÊMIO: Victor; Léo, Pereira e Jean; Felipe, Rafael Carioca, William Magrão (Adilson 31'/2°T), Tcheco e Souza; Marcel (Helder 38´/1°T) e Perea (Soares 39'/2°T)
Técnico: Celso Roth



37ª Rodada - Campeonato Brasileiro 2008
Data: 30 de novembro de 2008, Domingo, 17h00min
Local: Estádio Ipatingão, em Ipatinga-MG.
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa/PR).
Auxiliares: Marcos Antônio Moreira Collodetti (ES) e Gelson Pimentel Rodrigues (ES).
Cartões amarelos: Paulinho Dias, Pablo Escobar (Ipatinga). Cartão vermelho: Silvio (Ipatinga).
Gols: Pablo Escobar, aos cinco minutos, Marcel, aos 12, Jean, aos 23 minutos, Marcel, aos 28 do primeiro tempo; Léo, aos oito minutos do segundo tempo.




6 comentários:

Douglas Habibe disse...

E o SPFC, como já virou costume, mais uma vez ganhou uma ajudinha extra do apitador, no Morumbi, que, digamos assim, deixou de marcar um pênalti quase no fim do jogo para o Flu (detalhe estranhamente ignorado pela imprensa do Eixão, até mesmo - pasmem - a carioca, que saiu numa defesa apaixonada ao Flamengo na semana passada. Só o Troca de Passes do SporTV falou do lance, confirmou o pênalti, mas mesmo assim não deu muita bola.
.
.
Isso sem falar nos critérios de Heber Roberto Lopes com o já famoso esquema de faltas em rodízio do SPFC. Estranho, mas acho que no jogo do Barradão, o glorioso arbitro me pareceu bem mais severo com as faltas...
.
Dá-lhe Grêmio!

Vicente Fonseca disse...

Lembrei-me de imediato dos gols sofridos contra Náutico e Inter. Igualmente MASSA ver os são-paulinos, a 1 ponto do título, saírem com cara de enterro do Morumbi. Torcida que só vai ao estádio na hora boa não me serve.

nelson ramão disse...

Há um forte indício de título brasileiro para o Grêmio! Explico: Tá tão complicado esse final de campeonato para o tricolor que, com tantas dificuldades, o título é a cara do Grêmio. Vencer o Brasileirão com várias rodadas de antecedência é para os outros. Com a gente, nunca teve facilidade e não ia ser agora...
Só por curiosidade: em 2005 ganhamos o título da Série B e o Corinthias foi campeão da Série A. Agora, o Corinthias é campeão da B, só falta vencermos a A. Coisa de Mosqueteiros!?...
Por fim, e para não mostrar incoerência, estão dizendo que o Rodrigo Caetano teria admitido a possibilidade de oferecer um "incentivo" para o Goiás vencer o São Paulo na última rodada... Continuo achando lamentável...
Abraços.

Gustavo disse...

Não consigo me VESTIR de entusiasmo ainda. Estarei no Olímpico, portanto, espero poder gritar somente lá.

No entanto, é importante lembrar que o Goiás também joga fora de casa. Ambos jogarão. É uma desvantagem importante para os de verde.

Igual que o André, espero muitas notícias de malas-pretas, BEM REFORÇADAS, deslocando-se à capital goiana.

Porque o Réver não jogou? Alguém sabe?

André Kruse disse...

Douglas, meu irmão lembrou essa coincidencia da escala do Heber, depois de uma grave acusação feita por um jogador de uma das equipes postulantes ao título. Só vi o lance agora, achei que foi pênalti, Rodrigo subiu nas costas do Washington. Realmente é impressionante a diferença da repercussão dos lances.

Vicente, fiquei com esse sentimento. Torcedor de ocasião tem um tudo que é lugar, inclusive no Grêmio. Só que no São Paulo esse fenomeno tem sido muito forte.

Nelson, um dos fatores que me faziam e ainda fazem acreditar é lembrar como as coisas acontecem pro Grêmio.

Acho que essa história de mala preta ou branca rende uma boa discussão sobre ética. Grêmio deveria trabalhar silenciosamente. Só não pode fazer como o SP e Vitória que tiveram a cara de pau de negar o incentivo dado.

Gustavo, segundo a zero hora foi por causa de uma amigdalite. Demorei uns 5 minutos para me dar conta que ele não tava jogando.

Vicente Fonseca disse...

Réver teve esse problema durante a semana, e inclusive se colocou em dúvida sua escalação nos treinos e nas projeções de time que se fazia para Ipatinga. Acho que já deve jogar domingo.