quinta-feira, outubro 30, 2008

Brasileirão - Cruzeiro 3 x 0 Grêmio


O gol relâmpago decidiu o jogo e determinou os rumos da partida. Foi no mínimo curioso ouvir duas entrevistas de Vágner ontem: Antes do jogo disse que o time queria marcar gols cedo. No intervalo, disse que já conhecia a jogada do ponta-pé inicial do Grêmio.

A jogada ensaiada do Grêmio é manjada e foi mal executada. Guilherme tomou a bola, mas ainda assim era cercado por dois gremista na intermediária, de onde enfiou a bola pelo meio da zaga, e Wágner recebeu com liberdade para chutar para o gol e com pouco mais de 10 segundos mudar completamente o panorama da partida.

Nem deu pra saber se o esquema proposto por Roth era acertado ou não. Souza jogava de ala-esquerdo e Douglas Costa era atacante.

Para o Grêmio, o Gramado do mineirão ficou ainda maior e mais fofo. O jogo se inverteu, tendo o Grêmio que ir para cima e propor o jogo. Era o que o Cruzeiro precisava e queria. nos 25 minutos iniciais a pressão foi toda Cruzeirense, com destaque para a defesa de Victor após cabeçada.

O Cruzeiro tinha tempo e espaço para tocar a bola no seu campo de ataque, a marcação gremista não incomodava.

O tricolor tentava atacar., mas sem muita organização. A bola pouco passava por Tcheco (e tem sim que passar por ele). o Grêmio chegava perto do gol de Fábio, mas sempre faltava capricho. Era a conclusão ruim, domínio errado, bola que era adiantada, passe curto, etc... Ainda assim tivemos duas boas chances, na cabeçada de Réver e no chute de Felipe Mattioni.

Pereira sentiu lesão e o colombiano Perea entrou no seu lugar. 4-4-2. Souza já estava desconforável na ala, ficou ainda pior de lateral esquerdo.

No segundo tempo Paulo Sérgio ingressou na lateral-esquerda. Douglas Costa saiu e Souza foi para meia. o Grêmio melhorou e até teve boa chance, no voleio de Perea. Mas como castigo, numa bola jogada no costado esquerdo, Jonathan ingressou na área, tentou o cruzamento, mas a bola desviou em Victor e acabou indo para as redes.

O Cruzeiro tratou de administrar a vantagem. Aos 21, Fernandinho errou o chute, Guilherme que estava caído dentro da áre se levanta, domina, gira e bate para fazer o terceiro.

Confesso que a partir daí não me aguentei e mudei de canal para torcer por resultados paralelos ("secar"). Deu tempo de ver o São Paulo ser novamente beneficiado por um erro de arbitragem.


Duas declarações do vestiário gremista resumiram bem o que foi o jogo.

"Foi uma desatenção imperdoável. Houve desatenção e isso acabou definindo a partida. O Grêmio teve que tomar a iniciativa, se tornou mais vulnerável, e o Cruzeiro se aproveitou disso" André Krieger (ClicRBS - 30/10/2008)

"Em uma decisão, levar um gol aos 14 segundos com a saída de bola nosso favor desequilibra. Não conseguimos sentar no jogo. No futebol não tem perdão, quem erra, morre", afirmou o técnico Celso Roth - (Terra 30/10/1008)


CRUZEIRO: Fábio, Jonathan, Léo Fortunato, Espinoza e Jadilson (Thiago Martinelli, 22'/2ºT); Marquinhos Paraná, Fernandinho, Ramires e Wágner (Camilo, 27'/2ºT); Guilherme (Jajá, 39'/2ºT) e Thiago Ribeiro.
Técnico: Adilson Batista.

GRÊMIO: Victor, Leo, Pereira (Perea, 27'/1ºT), Réver e Felipe Mattioni; Rafael Carioca, William Magrão (Makelele, 22'/2ºT), Tcheco, Souza; Douglas Costa (Paulo Sérgio, intervalo) e Reinaldo .
Técnico: Celso Roth.

32ª Rodada - Campeonato Brasileiro 2008
Data: 29/11/2008, quarta-feira, 21h50min
Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Público: 35.560 pagantes
Renda: R$ 549.450,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Assistentes: Roberto Braatz (PR) e Erich Bandeira (PE)
Cartões Amarelos: William Magrão, Rafael Carioca, Souza e Tcheco (GRE); Fernandinho, Ramires e Guilherme (CRU)
Gols: Wagner 14''/1ºT , Jonathan 9'/2ºT e Guilherme 21'/2ºT

9 comentários:

Gustavo disse...

Não dá pra comentar, mesmo.
Ver o PS na lateral-esquerda me deu vontade de chorar, muito.
Horror, é o horror.

André Kruse disse...

Até comentaria, mas estou sem tempo. Achei que essas declarações, principalmente a do Kriger, definem bem o que foi o jogo.

Sancho disse...

Todo mundo lembra dos jogos contra Atlético Mineiro e Figueirense e pensa “como o Grêmio jogava bem no turno”. Balela. Primeiro, as goleadas só saíram, em SC, após o 3-1 e em MG após o 2-0. Até então, os jogos estavam equilibrados. Segundo, além desses, houve outros 17 jogos e eles não foram fáceis assim. O Grêmio teve que “suar sangue” para vencer o Ipatinga, o Vitória, o Coxa... Mas, isso claro, o trocedor esquece rápido. Afinal, o que vale são os pontos. Se venceu, é o máximo; se perdeu, é ruim. Fim de papo.

Mas não é assim que funciona. Esse time do Grêmio precisa que o adversário esteja desconfortável em campo. Ele joga no desespero alheio. O rival se joga para cima, abre espaços, toma o contra-ataque e “adeus, tia Chica”. Quando a gente sai perdendo de 1-0, fica tudo MUITO mais difícil. O Grêmio passa a ser vítima da sua própria arma. As duas goleadas que sofremos aconteceram depois do 2-1 no Gre-Nal - até ali o jogo estava igual - e do segundo gol ontem. Ontem, poderíamos, aliás, merecíamos, ter tomado uma sapatada no primeiro quarto do jogo. Depois, emparelhamos e o jogo seguiu igual até o final do PT. Voltamos melhor para o ST até o 2-0. Ali, baixamos a guarda e o resto do jogo foi só para cumprir com a regra que manda jogar 90′.

Ontem, o que o Roth pensou para o jogo foi inutilizado com 13″. Tudo o que ele disse para os jogadores antes da partida, esvaiu-se em TREZE SEGUNDOS! Depois, ele faz uma substituição no intervalo, para reestruturar a equipe. Ele colocou o P. Sérgio EXATAMENTE para conter os avanços do Jonathan e liberar o Souza. Não é que com OITO MINUTOS, o Jonathan passa ABANANDO pelo P. Sérgio entra na área e liquida o jogo? Tchê, vida de treinador é uma b*st*…

Os jogos do Grêmio seguem equilibrados, mas não marcamos mais o primeiro gol. Só isso. É só por isso que vamos perder o campeonato.

André Kruse disse...

Eu não me arrisco a dizer que vamos perder o campeonato, mas ontem, pela primeira vez, fiquei com aquela sensação de ver o campeonato escapando. Não só pelo jogo do Grêmio,mas pela rodada em si, principalmente com o São Paulo sendo beneficiado contra o "misto" do Botafogo.

As vitórias fora de casa surgiram sempre depois de o Grêmio freiar o ímpeto inicial do adversário.

E concordo contigo, o gol relâmpago impossibilta qualquer avaliação da tática inicial do Roth.

quanto a lateral/ala-esquerda realmente o Roth tá num mato sem cachorro. Meu palpite é que tem que voltar um dos guris da posição. Pico ainda é meu preferido.

Gustavo disse...

Concordo com o Sancho em dizer que as goleadas contra Atlético Mineiro e Figueirense foram ajudadas pelo acaso.

Mas o Grêmio jogou bem, contra o próprio Cruzeiro, no Olímpico. Foi uma das melhores apresentações tricolores deste ano.

Assim como a de ontem foi uma das melhores do Cruzeiro, se não a melhor.

Leonardo M. disse...

Siceramente nos nao temos um time que eh lah essas coisas, agora essa situação fica bem pior quando a convicção do tecnico tem a concistencia de uma gelatina. pra mim o Roth nao consegue tirar o maximo do grupo como por exmplo fazia o Mano. Nunca vo me eskece que depois de perde uma Libertadores fomos joga com um time em frangalhos um grenal no Br, em ganhamos. Na minha opniao pq o time tinha estrutura, dae tudo fica mais facil o roth, a qualquer sequencia de 2 jogos ruim muda jogador, eskema. Os jogadores nao sabem como se posiciona em capo, soh como exemplo o 2 gol foi uma falha de um time que nao treina no 442, nao necessariamente por que ele nao eh lateral esquerdo, o problema eh que nao sabe se posiciona numa linha de 4 defesores

Sancho disse...

I. As goleadas não foram obras do acaso. Nós nos aproveitamos bem de uma situação que construímos. Méritos nossos. Como as que sofremos foram por mérito dos adversários.

II. Não estou dizendo que vamos perder o campeonato. SE isso acontecer, é porque paramos de abrir o placar.

nelson ramão disse...

Sofrer um gol aos 14 segundos por pura falta de atenção generalizada (o jogo mal começara), aniquila com qualquer esquema tático! Ainda mais se temos uma equipe predominantemente jovem e que demora a assimilar o impacto. Ficou tudo mais difícil, sem dúvida. Porém, o campeonato não acabou! Até porque se tivesse acabado ontem, o Grêmio seria campeão...
Porque eu sinto que jogamos melhor quando temos que correr atrás de alguém?... Talvez, apenas talvez, se perdermos a liderança na reta final, jogadores e comissão técnica encontrem um novo caminho... É uma "roleta russa", um ataque "kamikaze", desespero, um "tudo ou nada"... O tempo dirá...

Gabriel disse...

Resultado normal, sinceramente, eu ja esperava por essa derrota, o problema foi como ela veio.

Time que está brincando pelo titulo não pode levar gol em 15 segundos, assim como o Palmeiras levou 3x0 no primeiro tempo contra o Fluminense.

O time de Celso Roth vai ter que melhorar e muito para conseguir tirar esse campeonato da eixo sudeste.