sábado, fevereiro 14, 2009

Adversário - Universidad de Chile




Final Sports:
"Nome completo: Club de Fútbol Universidad de Chile
Site oficial: www.udechile.cl
Sede: Santiago, no Chile
Fundação: 24 de maio de 1927
Rivais: Universidad Católica e Colo-Colo
Estádio: Estádio Nacional de Santiago.*


* Mas o clube mandou o seu jogo contra o Pachuca, pela Pré-Libertadores, no Estádio Santa Laura.

O Universidad possui a segunda maior torcida do Chile.

> Títulos:

- Campeonato Chileno: 12 vezes (1940, 1959, 1962, 1964, 1965, 1967, 1969, 1994, 1995, 1999, 2000 e 2004-Apertura)
- Copa Chile: 3 vezes (1979, 1998 e 2000)
- Primeira Divisão B: 1989
- Metropolitano Amador: 1934
- Série B: 2 vezes (1936 e 1937)

> Libertadores:

Em 2009, será a 15ª participação do Universidad na Libertadores. A equipe nunca conquistou o título da competição mais importante das Américas."

- Jogadores inscritos na Libertadores: Ver página da Conmebol


Globo Esporte:
"La U" chega à fase de grupos depois de uma façanha: eliminar o Pachuca, que acabou de disputar o Mundial de Clubes, jogando com um a menos por quase toda a partida no México. O clube pouco investiu em relação à temporada de 2008, quando não ganhou título algum, mas terminou a temporada com a maior pontuação. Na verdade, sobrou pouco dinheiro para investimentos, já que boa parte foi usada na contratação do técnico Sergio Markarián. Ele ganhará cerca de R$ 150 mil mensais.

Fique de olho: um gol de falta de Marco Estrada, no México, deu a classificação ao time. Maior talento do meio-campo, ele vem sendo convocado por Marcelo Bielsa para a seleção.

Técnico: Sergio Markarián (URU), que já levou o Sporting Cristal à final em 1997 (quando perdeu para o Cruzeiro) e o Libertad à semifinal de 2007 (foi eliminado pelo Boca Juniors).

Opinião: "Os azuis vão à Libertadores em um jejum de cinco anos sem ganhar um título chileno. O grande investimento está no banco. Markarián é a aposta dos dirigentes para que o time volte a se destacar internacionalmente, justamente no momento em que o clube lança ações na Bolsa de Valores. A aposentadoria de Marcelo Salas deixou um vazio no ataque, que foi preenchido com a chegada do paraguaio Nelson Cuevas."Rodrigo Aguilera, do jornal "La Tercera"



Trivela
O coadjuvante: A Universidad de Chile não vinha de um bom momento, mas surpreendeu ao passar pelo Pachuca na fase inicial, e tem mais chances que os adversários colombianos e bolivianos de seguir na Libertadores. Do mata-mata, porém, La U não terá grandes expectativas de sobreviver, e tentará contar com a sua grande torcida, uma das maiores do Chile. O que pode ser um pouco complicado, uma vez que, por conta das reformas em seu próprio estádio, a equipe está sem um local fixo para receber seus adversários.


Carta na Manga
"Mesmo tendo feito a melhor campanha da primeira fase do Torneo Clausura (38 pontos em 18 jogos, contra 33 dos finalistas Colo Colo e Palestino), a Universidad de Chile foi eliminada nas quartas-de-final pelo oitavo e último dos classificados, o Cobreloa (27 pontos), levando 3 a 0 em Calama e fazendo insuficientes 3 a 2 em Santiago. No Apertura, disputado no primeiro semestre, a boa campanha (30 pontos, 6º lugar) já o havia levado ao mata-mata, mas a equipe parou nas semifinais para o Everton, que sagrou-se campeão e jogará a Libertadores no grupo do Lanús. O que leva a Universidad de Chile a disputar sua 14ª Libertadores foi ser o time que mais somou pontos nas fases iniciais dos dois torneios (68, contra 65 da Universidad Católica).

A Universidad de Chile teve dois grandes momentos em sua história de 81 an
os. O primeiro data dos anos 60, quando o clube levantou cinco títulos chilenos dos 12 que ostenta (é a segunda maior campeã nacional, perdendo só para o Colo Colo, que tem 28 troféus). O segundo, mais recente, veio em meados dos anos 90, com Marcelo Salas (que está no elenco atual) comandando a equipe no bicampeonato chileno de 1994/95 e, cinco anos depois, o clube repetiu o bi em 1999/2000. O time atual, mesmo sem conquistar um título de expressão desde 2004, merece respeito"


Zero Hora:
A estrela do técnico: Sérgio Markarián conseguiu outro feito. Depois de conduzir o Paraguai à Copa de 2002, o uruguaio conseguiu colocar o desacreditado Universidad na fase quente da Libertadores. Em 2002, ele havia brilhado na Europa ao levar o grego Panathinaikos às quartas-de-final da Liga dos Campeões. Maior salário do futebol chileno, cerca de R$ 150 mil mensais, deve ganhar como prêmio do Universidad um centroavante.

Olho nele:
Marco Estrada é a estrela do time. É da seleção chilena, onde também forma dupla com Iturra. Ontem, o gol da classificação foi dele.

Casa grande
: Contra o Grêmio, dia 15 de abril, o Universidad já poderá usar o Estádio Nacional, de triste lembrança para os chilenos por ter sido usado como prisão e centro de tortura pelo ditador Augusto Pinochet no golpe de 1973. O primeiro jogo em casa, contra o Aurora, será no acanhado Santa Laura, para 12 mil pessoas.


4 comentários:

Anônimo disse...

O logotipo da Universidad de Chile é uma coruja?

Sancho disse...

Sinceramente, não agüento essa de toda vez que falam no Estádio Nacional citarem o Pinochet...

Sancho disse...

Em resumo, a U foi o time mais consistente do Chile no ano passado.

André Kruse disse...

Para pararem de falar no Pinochet, só demolindo e construindo um novo estádio. O episódio tem relevancia futebolistica no meu modo de ver.