quinta-feira, fevereiro 19, 2009

Calendário

"O Grêmio enviou à Federação Gaúcha de Futebol, nesta quarta, um pedido para alteração de datas da fase final do Gauchão, em razão da estreia na Copa Libertadores."

Procede o pedido do tricolor, haja visto o (possível e, creio eu, provável) calendário:
-21/fev - sábado:, Grêmio x Juventude, quartas-de-final do 1º turno do Campeonato Gaúcho
-25/fev - quarta-feira: Grêmio x Universidad do Chile, Libertadores
-27/fev -sexta-feira: semifinal do 1º turno do Campeonato Gaúcho
-01/mar- domingo:, final do 1º turno do Campeonato Gaúcho

4 jogos em 9 dias (Ou 3 em 5). Um absurdo.

Alguns dizem que o Grêmio deveria ter reclamado quando da divulgação da tabela, em novembro de 2008. Sim poderia. Poderia ter reclamado da divisão dos grupos, do Grenal em Erechim, de fazer somente 3 jogos em Alegre dos 8 do primeiro turno, etc...

Mas vale lembrar que o Grêmio é voto vencido na federação, e que a tabela do campeonato foi feita numa reunião em Montevideo, no Hotel Sheraton. Ou seja, a reclamação do Grêmio provavelmente não faria nenhum efeito.

De qualquer forma, naquela ocasião não teria como o Grêmio reclamar da sobre sobreposição de datas. Simplesmente porque ela ainda não existia. Isso porque a Conmebol (que é tão desorganizada quanto a FGF) só divulgou as datas dos jogos do Grêmio na Libertadores 2009 em 29 de dezembro de 2008.

Imediatamente o Grêmio se mostrou preocupado "É óbvio que se tivermos a colisão de datas, não há dúvida alguma que vamos priorizar a Libertadores. Mas certamente a Federação Gaúcha de Futebol será parceira de seu filiado Grêmio para entender a situação e provavelmente remarcar qualquer jogo" disse Rodrigo Caetano, em 30 de dezembro de 2008.

E a Federação só foi tomar uma medida em 30 de janeiro de 2009, um mês depois.

Claro, a culpa não é exclusiva da FGF. A Conmebol tem sua parcela. Mas me parece claro que existe, ou deveria existir, uma hierarquia entre competições e entre federações e confederações.

Sobre a Conmebol, outro questão importante de ser lembrada, que ilustra bem a bagunça que ela promove na Libertadores:

Ontem, Nacional do Uruguay e do Paraguay já jogavam sua segunda partida pela competição. Antes mesmo de algumas equipes terem estreado (Caso de Grêmio e Cruzeiro).

Me parece elementar que em um campeonato minimamente organizado a segunda rodada não pode ser iniciada antes de a primeira rodada ter sido encerrada. Mas já faz anos que isto não é observado pela Conmebol.

Grêmio e Universidad de Chile serão as últimas equipes a estrear na competição, em 25 de fevereiro. Até lá, nada menos do que 10 equipes já terão realizados sua segunda partida pela competição.

Em termos práticos isso pode representar uma vantagem para 0 Grêmio , que terá um prazo maior para inscrição de seus jogadores. Conforme o Artigo 10.2 do regulamento da Libertadores 2009:

"Las Asociaciones Nacionales deberán remitir a la Confederación Sudamericana de Fútbol la lista de los jugadores 48 (cuarenta y ocho) horas antes de la iniciación de su primer partido de esta competición."

Enfim, Será que é tão difícil assim organizar o calendário?

6 comentários:

Douglas Habibe disse...

Fala, André. Ainda sobre a questão Mario Sergio, achei algo que elucida a sua dúvida, num blog colorado:

Blog Colorado - Em 1984 ou por aí eu me lembro de uma coluna sua na Placar sobre o Inter e doping. Lembro que deu no que falar na epoca e o Inter teve até uma carta resposta publicada na placar inclusive dizendo que o Inter tinha acabado de representar o Brasil nas Olimpiadas de Los Angeles e nada foi detectado em termos de Doping. Você realmente acredita que o Inter jogava dopado naquela epoca mesmo com jogadores de classe e respeito como o Mauro Galvão era zagueiro do Inter naqueles anos e outros jovens como Pinga , Aloisio o goleiro Gilmar etc....Qual foi a historia (para a galera que nem era nascido ainda)?

Juca Kfouri - A coluna não era sobre o Inter. Era sobre o doping comprovado do Mário Sérgio, então no Palmeiras, num jogo contra o São Paulo. Como ele negava, nós fomos atrás de outros casos e ouvimos de um ex-jogador colorado que certa vez o Mário quis dopar o time antes de uma partida contra o Flamengo, no Rio. A fonte dizia que se negou, mas outros, intimidados, engoliram o comprimido. O Mário Sérgio tem certeza que a fonte foi o Dunga e nunca o perdoou por isso

Fonte: http://bolavermelho.blogspot.com/2007/08/10-perguntas-para-o-juca-kfouri.html

Saudações!

Prestes disse...

Cara, acho que poderia haver uma hierarquia entre as federações também. Na real, acho o Gauchão muito longo. Mas também não dá pra reclamar muito de teu time ter feito boa campanha no brasileiro e estar preocupado com a maior competição do continente. Ruim é só jogar Gauchão. Paciência, prioriza-se a Libertadores. Eu ainda acho que o Grêmio também deveria estar jogando a Copa do Brasil. Eaí não teria jeito: é time misto aqui, reserva acolá. Na Europa é organizado e é assim. O cara tem é que priorizar competição mais importante. Nem sempre os outros farão isso por ti.

sancho disse...

Engraçado, certa feita o Barcelona quis jogar duas partidas num intervalo de dois dias e foi proibido. Então, conseguiram que a LFP marcasse sua partida pelo Espanhol para à meia-noite.

Sinceramente, eu acho que se o Grêmio realmente se importasse, teria esperneado bem antes. A mudança de comportamento ocorreu DEPOIS da derrota do Gre-Nal. Antes, tudo podia; agora, é tudo resultado de complô.

Quanto ao jogo da semifinal, houve remarcação; ele estava previsto para 25.2. Não tem onde mais colocá-lo. Nessas horas, entra-se em campo e joga-se. Muito pior são os 6 jogos em casa e oito fora.

Um abraço.

André Kruse disse...

Valeu Douglas.

Prestes, até concordo contigo, mas mesmo que se coloque os reservas, um jogo a cada 48 horas é demais.
E também acho que os times que disputam a libertadores deveriam jogar a copa do brasil (mas este assnto fica para um próxma oportunidade).

Sancho, conforme linkei no post, o Rodrigo Caetano reclamou das datas ainda em 2008. O Roth também reclamou do excesso de jogos fora antes do campeonato começar.

Agora realmente não tem muito o que se fazer, o próprio Krieger reconhece isto.

O que eu faria:
Time misto contra o Juventude.
Time titular na Libertadores.
Time inteiramente reserva na semifinais do gauchão (se for o caso)
Time titular na final do gauchão (se for o caso)

Menezes disse...

Disse tudo!

Só que tem mais um detalhe: Essas 48 horas não poderão ser usadas pq tem o dia nacional de comemoração por mortes no transito, brigas em festas (as vezes com mortes), doenças contagiosas, e etc...

Ou seja, o Grêmio poderia inscrever até o dia 23 às 21:50. Mas não, o feriadinho do povão ta ae... E pasmem, a CBF não trabalhará na segunda.

Por que será que eu não me surpreendo?

Sancho disse...

Kruse,
Eu não disse "reclamar", mas "espernear", o que é diferente. O que me incomoda são os chiliques, que surgiram após um Gre-Nal em que jogamos bem, perdemos por acidente (não fomos "roubados"), e que não valia absolutamente nada.

O que o clube deveria ter feito, era esperneado no dia que saiu o carnê. O campeonato do jeito que está, causa desequilíbrio. Deveriam ter apontado de forma inequívoca a incomeptência da Federação. Querem mandar o Gre-Nal para Erechim, tudo bem, mas que o Grêmio tivesse um jogo a mais e casa e os vermelhos, menos.